DIÁRIO DE VIAGEM: JERICOACOARA 2017

Oiee!! Tudo bem com vocês?

Hoje vim contar pra vocês um pouquinho da minha viagem para Jericoacoara desse ano. Na minha família virou tradição, nos últimos anos tiramos uma semana de férias e vamos conhecer um pedacinho do nordeste do Brasil. A primeira vez foi Fortaleza e arredores, depois saímos de Fortaleza e fomos até os lençóis maranhenses e ano passado de Fortaleza até Natal. Todos esses lugares são paisagens diferentes, clima maravilhoso e acende um amor ainda maior pelo nosso país. Acho que já deu de perceber que gostamos de lá né? Hahahaha É que cada ano vamos descobrindo novas coisas para fazer!

Em 2015 havíamos visitado Jericoacoara bem rapidinho (até contei aqui no blog). A vila nos impressionou demais e nesse ano decidimos voltar com mais tempo para explorar cada cantinho. Parece que conhecemos um novo lugar!

Saímos de Blumenau na sexta (21/07) e nosso voo era até Fortaleza (dica: agora já tem aeroporto em Jericoacoara, compensa demais se esse for o único destino da viagem). Chegamos em Fortaleza no fim da tarde, passeamos um pouquinho pelo centro e a noite dormimos em Flecheiras. No sábado passeamos por essa parte do litoral que é linda e após o almoço começamos o caminho até Jeri.

De Fortaleza à Jericoacoara são cerca de 300 km, mas pode levar umas 5 horas para chegar até a vila. Nosso guia foi passando pelas praias, subimos dunas e encontramos lugares lindos, como os abaixo:

Chegamos no fim de tarde em Jericoacoara, jantamos e a noite decidimos conhecer o tradicional forró! Gente, que experiência incrível. Eu estou numa fase da vida que amo festinhas (hahah), então achei muito divertido. Foi algo completamente diferente do tipo de festa que eu vou, casais dançando e também vários turistas curiosos. Como era sábado, naquela noite era o Forró da Dona Amelia, o lugar é um restaurante e depois das 23:30h é que começa a festa. A entrada foi R$ 20,00. Vale a pena conhecer! Ah, cada dia o forró é em um lugar diferente, só se informar pela vila.

Outra dica da vida noturna de Jeri são as barraquinhas de caipirinha na beira da praia. A variedade é enorme, só escolher! Alguns dias da semana tem DJ tocando música por ali e o lugar lota. O bom é que fica ao ar livre e não precisa pagar para participar.

O dia seguinte foi livre e passamos na praia. É possível alugar cadeiras e guarda-sol. No fim do dia, subimos a Duna do Pôr do Sol para acompanhar o fim de tarde. Lá em cima venta muito, ou seja, areia voa toda em você (não adianta ir depois do banho ou arrumadinho porque sai de lá empanado kkkkkk) mas compensa demais. Sem dúvida o pôr do sol mais lindo que eu já vi na vida. É atração turística, a duna fica lotada!

Na segunda-feira tínhamos o primeiro passeio programado, saímos para o lado oeste, fizemos o passeio para ver os cavalos marinhos de barco, mangue seco até chegar em Tatajuba para almoçar e ficar até o fim do dia. Lá tem um escorregador que cai dentro da lagoa (R$ 10,00 para descer 3x) e stand up e caiaque para alugar. O restaurante é uma delícia (vou fazer um post contando as dicas mais específicas de onde comer/hospedar/etc).

Duas curiosidades: por ser no meio das dunas, não tem energia elétrica no local. Então, nosso suco de abacaxi, por exemplo, não foi feito no liquidificador e sim na mão mesmo! Outra coisa é que quando pedimos o cardápio, surgiu o garçom com os peixes/camarões/lagosta em uma travessa hahahah, era só escolher o que queria, ao vivo mesmo.

No dia seguinte, turistamos para o lado leste. A primeira (e mais longa) parada foi na Lagoa do Paraíso. Passamos praticamente o dia todo lá em um Beach Club chamado Alchymist. Já havíamos visitado a lagoa na viagem antiga, mas parecia que estávamos em um local totalmente diferente. Esse Beach Club é muito bem estruturado e gigante, totalmente direcionado para turistas. O preço é um pouco mais salgado, mas vale a pena passar o dia. É lá que tem as redes dentro da lagoa e a água super transparente cheia de peixes. Além disso também é possível alugar stand up e caiaque. Saímos de lá umas 15h e passamos pela Lagoa Azul, Praia do Preá e Árvore da Preguiça.

Os outros dias tínhamos livres e faltava só a Pedra Furada para finalizar os pontos turísticos. A maioria dos passeios ao fazer o lado leste também já param ali, mas a dica é ir até lá do centro de Jeri caminhando ou de charrete. Os carros acabam deixando numa distância bem longa da Pedra e é quase a mesma de andar do centro. A diferença é que andando do centro, além de não perder um tempo que poderia estar nas Lagoas, por exemplo, a vista pela praia é simplesmente maravilhosa! A caminhada é razoavelmente cansativa, mas vale MUITO a pena. Para quem não quiser andar tanto, as charretes chegam muito mais perto da pedra do que os carros ou bugues. E se quiserem uma dica ainda melhor, em determinadas épocas do ano o sol se põe bem no meio da pedra e é sensacional, eu acabei não indo – bobiei – e me arrependi. Fica a dica!

Essa foto do pôr do sol na Pedra Furada nossos amigos que tiraram, maravilhoso né? Eu vi o pôr do sol quase todos os dias e fiquei emocionada, vale a pena ver mesmo que da praia.

Gente, e esse céu azul? E a cor dessa água? Sem palavras!!

Jericoacoara tem um clima incrível, as ruas são todas de areia, tem uma vibe deliciosa e eu fiquei ainda mais apaixonada. Sem dúvidas voltarei.

No meu Instagram eu fiz um mini vídeo com alguns momentos da viagem:

Saudades desse paraíso 💛 #tbt

A post shared by Ana Caroline Cunha (@aneinha) on

 

Gostaram do post?

Beijos,

Ana Caroline

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *