GRAMADO – DIÁRIO DE VIAGEM

Oi, meninas!
Tudo bem? Como passaram o feriadão?

Eu fui aproveitar esses três dias na serra gaúcha, em Gramado e foi muito bom. Eu já conhecia a cidade, fui algumas vezes quando mais nova, mas o Matheus nunca havia ido, por isso passamos por todos os pontos turísticos de lá.

Saímos de Blumenau na sexta-feira pela manhã e, depois de alguns imprevistos com a estrada no caminho, chegamos em Gramado no meio da tarde. A cidade estava como eu nunca tinha visto, coberta por uma neblina que deixou tudo branquinho! Apesar de a temperatura não estar tão baixa, por volta dos 17ºC, o vento fazia com que a sensação fosse bem menor.

Gramado

Nossa primeira parada foi no McDonald’s (que fica em uma construção mega diferente!) para “almoçar” rapidinho. Depois, continuamos pelo centro da cidade a pé para ver as lojinhas e os pontos principais, como a Igreja, a Rua Coberta e a Rua Torta. No final da tarde fomos para o hotel para nos arrumar para jantar.

Gramado

Gramado

Gramado

Gramado

Gramado

Gramado

Um dos lugares mais tradicionais de Gramado são os cafés coloniais, é quase uma parada obrigatória! Nós escolhemos o Bela Vista, pois eu já havia ido e é o mais conhecido por lá. Gente, é muita comida! Mas antes de irmos jantar, resolvemos dar uma passada rápida em Canela, apenas para ver o centrinho e a Igreja, que a noite tem uma iluminação linda que muda de cor!

Gramado - Canela

Gramado - Café Bela VIsta

Gramado - Café Bela Vista

O segundo dia começou por outra parada obrigatória: o Lago Negro. O lugar é muito lindo, e a volta ao redor do lago é uma caminhada supergostosa de fazer. Depois de lá, fomos para um lugar que eu ainda não conhecia, um parque de lavandas. Não é tão incrível quanto parecia, mas vale a visita. O parque também conta com uma lojinha e um café, e o apple strudel de lá é o que mais vale a pena no passeio!

Gramado - Lago Negro Gramado - Lago Negro

Gramado - Parque de Lavandas

Gramado - Parque de Lavandas Gramado - Parque de Lavandas Gramado - Parque de Lavandas Gramado - Parque de Lavandas Gramado - Apple Strudel

Depois de lá seguimos para a parte mais divertida da viagem, o Snowland! Ficamos lá até o final da tarde e não paramos um segundo! Começamos pelo simulador de ski, seguimos para a patinação no gelo, e depois fomos para a parte gelada do parque. Na Montanha de Neve a temperatura chega a -4ºC! Eu já viajei para uma estação de ski, então já sabia como era a neve, mas para o Matheus foi o primeiro contato. O parque é superdivertido e, mesmo tendo o ingresso um pouco carinho, vale a pena! Mas cansa muito! Quando saímos do parque passamos em algumas lojas de chocolate e depois fomos para o hotel.

Gramado - Snowland

Vilarejo Alpino
Vilarejo Alpino
Montanha de Neve - Snowland
Montanha de Neve – Snowland
Montanha de Neve - Snowland
Montanha de Neve – Snowland

Gramado - Chocolate LuganoGramado

O jantar dessa noite foi um fondue delicioso. Pesquisamos alguns restaurantes que servem fondue e acabamos optando por um menorzinho, mas super aconchegante e gostoso.

Gramado - Fondue Gramado

No domingo tínhamos apenas a manhã para aproveitar, então fomos até o Parque do Caracol, onde fica localizada a cascata de mesmo nome. O passeio mais conhecido de lá é a escadaria que proporciona vistas lindas da cachoeira, mas infelizmente o caminho estava interditado :/ Fizemos então todas as outras trilhas do parque! O lugar é lindo e é muito bom sair um pouco da cidade.

Cascata Caracol, no Parque do Caracol, em Canela
Cascata Caracol, no Parque do Caracol, em Canela

Gramado - Cascata Caracol

Depois de lá pegamos a estrada para voltar para casa :/

O tempo foi curto mas foi muito bom!
Para quem quiser dicas de lá, vou fazer um post mais detalhado sobre os lugares que fomos!

Beijos,

 

 

OSTERFEST EM POMERODE!

IMG_5926

Domingo passado foi dia de passeio em família!

Fomos até Pomerode visitar a Osterfest. O evento já está em sua 8ª edição e a grande “atração” é a Osterbaum, uma árvore com cerca de 120 mil cascas de ovos pintadas. O nosso passeio foi em um domingo pós almoço e o local estava LOTADO de gente. Para quem tem disponilidade, eu indicaria ir durante a semana pois deve ser mais tranquilo. Estava complicado de se locomover e foi até difícil de ver tudo que o lugar disponibiliza.

IMG_5924 osterfest

O local tem várias atrações, principalmente para as crianças, entre elas passeio de trenzinho, casa do coelho, passeio de pônei e pintura de ovos. Até eu me diverti tentando pintar os ovinhos (que não deu muito certo hahahaha)

osterfest   osterfest

Apesar da fama da árvore com 120 mil ovos (que são de plástico), a que eu achei mais bonita foi essa abaixo. Ela fica em um lugar fechado e é lotada de ovos de verdade, cerca de 10 mil!

osterfest osterfest pascoa

osterfest

Foto da Carol, que foi no mesmo dia, um pouco mais tarde! 😛

Para quem quiser visitar a Osterfest fica no Centro Cultural de Pomerode, até 27 de março, de quinta a domingo, das 10h às 19h. A área externa de visitação é gratuita e tem horários diferenciados aos finais de semana: sábado até às 21h e domingo até às 20h.

Mais informações sobre a Osterfest aqui.

 

Beijos,

ana-caroline

BUENOS AIRES EM UM DIA – RHAPSODY OF THE SEAS

O dia em Buenos Aires começou cedo (em comparação com o de Punta del Este) e com chuva. Saímos do Rhapsody of the Seas por volta das 9h30m e nossa primeira parada foi para comprar um guarda-chuva.

Como nosso objetivo era fazer a maior parte dos pontos turísticos a pé, começamos a jornada em direção à Calle Florida, um calçadão cheio de lojas, inclusive o Galerias Pacífico, um shopping com muitas lojas legais.

Buenos Aires | Rhapsody of the Seas

Caminhamos por toda a rua embaixo de chuva, até que, chegando na Plaza de Mayo, ela aliviou e até deixou o céu azul aparecer em alguns momentos. Essa região é legal para caminhar e fotografar, pois as construções são antigas e muito bonitas.

Buenos Aires | Rhapsody of the Seas

Buenos Aires | Rhapsody of the Seas

Buenos Aires | Rhapsody of the Seas

Buenos Aires | Rhapsody of the Seas

Passamos então pela Casa Rosada, sede do governo Argentino, a caminho de Puerto Madero. A construção também é linda e a cor deixa qualquer foto bonita.

Buenos Aires | Rhapsody of the Seas

Chegamos em Puerto Madero no início da tarde, então já fomos em busca do McDonald’s que tem por lá para almoçar. Essa parte da cidade mistura o moderno com o antigo e é linda! São inúmeras opções de restaurantes por lá, além de cafés super charmosos.

IMG_2729 IMG_2735

Ali também se localiza a Puente de la Mujer, uma ponte super famosa que liga os dois lados do canal. Atravessamos ela depois do almoço e subimos novamente o caminho por Puerto Madero, porém agora passando pela outra margem, a mais moderna, com prédios empresariais e condomínios de luxo.

Buenos Aires | Rhapsody of the Seas

Buenos Aires | Rhapsody of the Seas

Buenos Aires | Rhapsody of the Seas

Depois foi hora de partir para Caminito, em La Boca. Como o caminho até lá é mais longo e passa por lugares não tão legais assim, resolvemos pegar um taxi. Depois de mais ou menos meia hora chegamos na ruazinha mais colorida de Buenos Aires.

As lojinhas são super atrativas, apenas de todas venderem praticamente as mesmas coisas. As cores e a música (toca tango em todos os lugares) fazem com o que o clima seja único por lá. Ficamos pouco mais de uma hora aproveitando o lugar, então pegamos outro taxi e fomos para o bairro da Recoleta.

Buenos Aires | Rhapsody of the Seas

Buenos Aires | Rhapsody of the Seas

IMG_2787 Buenos Aires | Rhapsody of the Seas

Na Recoleta caminhamos até a Floralis Genérica, uma escultura de metal enorme. No início, ela abria as pétalas em certo horário do dia, mas com a falta de manutenção parou de funcionar. Mesmo assim, é um ponto turístico legal de conhecer!

Buenos Aires | Rhapsody of the Seas

De lá, caminhamos até o Hard Rock Buenos Aires. Em comparação com os outros que conheço, ele é bem pequeno, mas a decoração e o clima inconfundível fazem dele um lugar super agradável.

O Hard Rock fica localizado em um shopping de Design, e por lá também tem um Starbucks, então aproveitamos para tomar um cafezinho antes de voltar para o navio.

DCIM101GOPRO

IMG_20151222_184627084

O Rhapsody sairia do porto apenas as 23h30m, mas como já estávamos cansados de tanto andar e não tínhamos mais nenhum lugar programado para ir, voltamos para ele por volta das 19hs. Aproveitamos então para apreciar a vista de Buenos Aires a noite, que é linda!!

IMG_2829

Buenos Aires | Rhapsody of the Seas

No mapa abaixo está todo nosso trajeto, para ajudar quem está planejando viajar para a cidade sem muito tempo disponível.

Beijos,
Carol-Borba

RHAPSODY OF THE SEAS – DICAS E DÚVIDAS

Rhapsody of the Seas

Antes de ir viajar no final do ano passado, pesquisei muito sobre o navio em que iríamos, o Rhapsody of The Seas. Como ele nunca havia feito uma temporada no Brasil, não encontrei quase nenhuma informação em português, e as que encontrava em inglês não eram relatos pessoais, mas sim reviews de sites de viagens.

Como eu tinha muitas dúvidas e curiosidades sobre esse tipo de viagem, acredito que a maioria das pessoas que vai pela primeira vez também tenha. Por isso, resolvi fazer um estilo de questionário com as prinicpais dúvidas que eu tinha que foram respondidas apenas durante a viagem. Assim, espero poder ajudar quem também está passando pelo o que passei!

Lembrando que estas informações são específicas do cruzeiro que eu fiz, podendo ser diferentes em outros navios e empresas, ok?
Rhapsody of the Seas

    • A alimentação está inclusa no cruzeiro?
      Nos navios da Royal Caribbean, todas as refeições são inclusas. Porém, existem restaurantes de especialidade que são cobrados a parte e requerem reservas

Rhapsody of the Seas

    • Quais são os restaurantes inclusos? 
      No Rhapsody of the Seas, três restaurantes têm as refeições inclusas. O Windjammer oferece um buffet em todas as refeições e é super informal. Como fica ao lado da piscina, é possível se servir e curtir a área externa enquanto almoça, super gostoso. A comida é muito boa e super variada. Não é preciso fazer reservas. O Edelweiss é o restaurante mais formal do navio e serve café da manhã, almoço e jantar. Para a noite, é preciso fazer reservas, escolhendo o turno do jantar ou o horário da sua preferência. O sistema é a la carte e os pratos são super sofisticados e muito bons! O Park Cafe é uma opção mais rápida que fica no Solarium, área da piscina interna. São servidos lanches mais práticos em um buffet e também atende todas as refeições sem reservas. É bom para um café da tarde ou um late snack a noite.

Rhapsody of the Seas

    • Quais são as bebidas inclusas?
      No Rhapsody of the Seas estão inclusas as bebidas “de máquina”, ou seja, água, chá gelado, sucos que variam de sabores (laranja, frutas vermelhas, mas na maioria das vezes limonada), café e chás. Quem não bebe muita bebida alcoólica nem refrigerante consegue se virar muito bem com essas bebidas inclusas.

Rhapsody of the Seas

    • É preciso fazer reserva para o teatro?
      Não é preciso fazer reserva para as apresentações do teatro. Elas costumam acontecer sempre em dois horários, possibilitando que todos assistam a todas as noites de shows, sem importar o horário do jantar.

Rhapsody of the Seas

    • Como funcionam os pagamentos dentro do navio?
      Dentro do navio é utilizado dinheiro vivo apenas no casino. Em todos os outros lugares, o seu cartão do quarto (Sea Pass) irá funcionar como cartão de crédito também. Você passará ele todas as vezes em que comprar algo e no final do cruzeiro pagará a fatura no Guest Services.

 

    • É preciso ter cartão de crédito internacional para utilizar no navio?
      Não. Na hora do check in você pode cadastrar um cartão para que as despesas sejam faturadas automaticamente para o seu cartão, assim você não precisa fechar a conta no final do cruzeiro. Mas se você preferir pode pagar as despesas em dinheiro no fim da viagem, basta selecionar a opção “Dinheiro” na hora do check in online.

 

    • Como sei a programação diária do navio?
      Toda noite é deixada a programação e todas as informações do dia seguinte na sua cabine. Assim fica fácil se programar para todas as atividades!

 

    • Que tipo de roupa devo usar nos jantares?
      Nos restaurantes de especialidade, no Windjammer e no Park Cafe, você pode ir com qualquer roupa, não existe uma “regra”. Apenas no Edelweiss que o traje é sugerido. E Isso você verá sempre na programação do dia seguinte. Nela sempre estará a sugestão de traje para jantar, como informal, semi-formal, formal e de gala, por exemplo. Existem também noites em que o traje é sugerido por cor, como a noite do branco, etc. Mas tudo isso é apenas sugestão deles para que a gente entre no clima da noite. Se você estiver de calça jeans na noite de gala, não será proibida de entrar haha.

Espero ter ajudado quem está planejando uma viagem de cruzeiro com o Rhapsody of the Seas!

Beijos,
Carol-Borba

PUNTA DEL ESTE EM UM DIA – RHAPSODY OF THE SEAS

Continuando com os assuntos relacionados ao cruzeiro que fiz no final de ano, hoje começo a falar um pouquinho de cada cidade em que paramos. Como já contei aqui, as paradas foram Punta del Este, Buenos Aires e Montevideo, nessa ordem. Portanto, o post de hoje é sobre Punta e como aproveitar a cidade em um dia.

Punta del Este | Rhapsody of the Seas

Como Punta não tem um porto que suporte navios assim, a parada é no mar mesmo e o desembarque é feito por meio de lanchas. Por isso, demoramos bastante para chegar na cidade. O navio parou perto do meio dia, mas nossa vez de sair do navio chegou apenas perto das 15hs! O navio sairia dali perto das 19hrs, então o jeito era correr para conseguir ver tudo o que queríamos.

Como eu já havia ido para lá, sabia mais ou menos onde deveríamos ir, portanto assim que chegar no porto de Punta, fomos direto em direção à Playa Brava, passando pela Avenida Golero (uma das mais bonitinhas de lá).

Punta del Este | Rhapsody of the Seas

Punta del Este | Rhapsody of the Seas

Depois de uma parada para um sorvete na Freddo, continuamos pela avenida até chegarmos no monumento Los Dedos del Náufrago. Aproveitamos também para caminhar um pouco pela praia, que aliás estava quase vazia! Eu imaginei que estaria lotaaada, mas estava apenas um pouco mais cheia do que quando fui no inverno.

Punta del Este | Rhapsody of the Seas

Punta del Este | Rhapsody of the Seas

A próxima parada foi na Playa Mansa. “Atravessamos a ponta” até chegarmos nela. Essa praia é super legal para caminhar, pois tem um deck na orla que é super agradável. Fomos caminhando até o Hotel Conrad, pois como Matheus gosta de poker e afins, queríamos visitar o casino de lá, que é considerado um dos maiores da América do Sul.

Punta del Este | Rhapsody of the Seas

Punta del Este | Rhapsody of the Seas

Punta del Este | Rhapsody of the Seas

Punta del Este | Rhapsody of the Seas

Quando saímos de lá, faltava menos de uma hora para o navio sair, então resolvemos voltar para o porto para curtir um pouco o lugar. Na volta passamos pela Calle 20, conhecida como Fashion Road, que tem várias lojas legais, mas como já tinha contado na viagem anterior, o Uruguai não é um lugar muito bom para compras.

Já no porto, caminhamos por todo o molhe que além de barcos lindos tem também a presença dos famosos leões marinhos.

Punta del Este | Rhapsody of the Seas

Punta del Este | Rhapsody of the Seas

Punta del Este | Rhapsody of the Seas

Punta del Este | Rhapsody of the Seas

Por fim, foi hora de voltar para o navio :/ O tempo na cidade foi curto, mas ainda assim conseguimos visitar o que queríamos. A dica é se organizar e saber certinho para onde ir, assim não perdemos nem um minuto!

No mapa abaixo é possível ver como foi nosso trajeto pela cidade!

Beijos,
Carol-Borba

RHAPSODY OF THE SEAS – DIÁRIO DE VIAGEM

Oi, meninas!

Contei no último post um pouco sobre como é o Rhapsody of the Seas, o cruzeiro no qual passei as férias. Hoje vou mostrar um pouquinho de como foram nossos dias nele, vem ver!

Rhapsody of the Seas

Nossa viagem começou em uma sexta-feira a noite na rodoviária de Balneário Camboriú (SC). Saímos rumo ao Porto de Santos, onde chegamos na manhã seguinte. Chegando no Porto, a primeira coisa que fizemos foi encontrar o guichê da nossa empresa e despachar as malas. O processo foi muito tranquilo, sem filas nem confusões.

Depois disso esperamos o número do seu check-in ser chamado. Isso levou mais ou menos 2 horas, então finalmente fizemos o check-in e entramos no navio.

Mesmo não sendo um dos maiores, ele é lindo e encanta quem não conhece nenhum. Como ele sairia apenas na parte da tarde, passeamos por todo ele. É ótimo fazer isso, porque como o navio ainda está bem vazio, é uma hora boa para tirar fotos da estrutura e suas sem “intrusos” no fundo, além de que seu senso de direção lá dentro melhora muito!

Rhapsody of the Seas
IMG_2366

Rhapsody of the Seas

Os dias no mar foram cheios de atividades! Aproveitamos a programação do navio e principalmente os espaços dele, como o casino e a piscina.

Nos dias de sol, a piscina era nossa principal atividade, tanto a externa quanto a interna. Já quando o clima não colaborava muito aproveitamos para participar das atividades do navio, como quizes (de todos os temas possíveis) e até mesmo bingo! haha. O divertido é que todo mundo participa de tudo, então não fica estranho você em um jogo de bingo e uma senhorinha em uma festa na piscina, por exemplo haha.

Rhapsody of the Seas
DCIM101GOPRO

A programação da noite no Rhapsody of the Seas era quase que certa: jantar, depois casino! Matheus joga poker então aproveitou ao máximo o lugar. E até eu entrei na onda e arrisquei no black jack e na roleta (adorei jogar, mas ganhar que é bom, NADA!).

Rhapsody of the Seas Rhapsody of the Seas Rhapsody of the Seas

Nos dias em que paramos em cidades, a diversão no navio ficava mesmo para a parte da noite. Mas sem dúvidas, a noite mais incrível foi a do dia 24/12. Gente, que Natal lindo! Com direito a coral e dançarinos, nosso Natal teve também um show do tenor Jorge Durian e uma pool party! Foi lindo demais!

Rhapsody of the Seas Rhapsody of the Seas Rhapsody of the Seas

Resumindo, nossos dias no navio foram assim! ♥

Vou contar em outros posts mais as cidades em que paramos e dar algumas dicas para quem, assim como eu fui, vai viajar pela primeira vez!

Beijos,
Carol-Borba

RHAPSODY OF THE SEAS: CONHECENDO O NAVIO

Oi, meninas!
Como vão?

Bom, um assunto que vai render alguns posts por aqui é o cruzeiro que eu fiz no final do ano passado. Hoje, para começar, vou contar um pouco sobre o navio em que viajamos, o Rhapsody of the Seas, da Royal Caribbean.

Rhapsody of the Seas

Na hora de selecionar o cruzeiro que faríamos, levamos mais em consideração os destinos em que pararíamos do que o próprio navio, pois como não conhecíamos nenhum, não tínhamos como saber qual era melhor, etc… Selecionamos então o Rhapsody sem conhecer muito bem ele, mas acabamos adorando!

Nosso cruzeiro teve a duração de 7 noites e passamos pelas cidades de Punta del Este, Buenos Aires e Montevideo, além de ficarmos três dias inteiros navegando. Esse roteiro é super legal, vale a pena fazer! Mas vou contar um pouco mais sobre nossa experiência em outros posts, pois o foco hoje é o navio!

O Rhapsody of the Seas não é um dos maiores, mas tem tudo o que precisamos. Ele pertence a classe Vision da Royal, e conta com 11 decks recheados de coisas legais!

Rhapsody of the Seas

Para diversão durante o dia, são duas piscinas com água salgada, uma interna e uma externa, seis jacuzzis, uma parede de escalada (parece fácil, mas é difíííicil!), pista de caminhada e academia. Além das atividades que acontecem em diversas áreas do navio.

Rhapsody of the Seas DCIM101GOPRO

Rhapsody of the Seas
Rhapsody of the Seas

IMG_2366

Para a noite, o principal entretenimento é o Casino Royale! Ele é muito bonito e oferece desde caça-níqueis até jogos de mesa como Black Jack, roleta, Poker, etc… Acontecem também festas no Viking Crown Lounge (tipo a baladinha do navio) e festas temáticas no Centrum dependendo do cruzeiro, além de outras atividades como dinâmicas e até karaokê! O Rhapsody também conta com um teatro lindo, onde acontecem apresentações todas as noites!

Rhapsody of the Seas

 

Rhapsody of the Seas

Rhapsody of the Seas

Rhapsody of the Seas

Para quem gosta de comprar, algumas lojinhas fazem nossa alegria! São produtos diversos, desde perfumes, maquiagens, até relógios de grifes, bolsas, jóias, souvenirs, etc… tem muita coisa! E o bom é que todo dia tem uma promoção diferente para a gente aproveitar! No Rhapsody são quatro lojas: uma que vende bebidas e comidinhas importadas (tipo de free shop mesmo), outra da Royal que vende coisas deles, roupas de marcas como Tommy Hilfiger e Nautica, bijuterias, relógios, etc…, uma perfumaria e uma boutique com bolsas e óculos de grife, além de jóias de marcas famosas (e caras!).

 

Sobre alimentação, apenas elogios! O navio conta com três restaurantes que tem as refeições inclusas no pacote: o Windjammer (um restaurante de buffet bem informal que serve todas as refeições sem reserva), o Edelweiss (um restaurante a la carte mais formal que serve café da manhã, almoço e jantar, mas precisa de reserva apenas para a noite) e o Park Cafe (uma opção para quem quer algo bem rápido e mais “gordo” como hamburguers e cachorro quente, por exemplo). Além deles, existem os restaurante de especialidade, como um italiano e um japonês, por exemplo, mas a não ser que você faça questão de alguma dessas comidas, não vale a pena pagar a mais pois o Edelweiss tem pratos muito bons que já estão inclusos!

Rhapsody of the Seas

Rhapsody of the Seas

Sobre as cabines, a nossa era uma interna grande, mas que de “grande” não tinha nada! haha. Ela é bem pequena, mas dá para se organizar e pelo tempo que passamos lá dentro, não precisava ser maior.

Rhapsody of the Seas Rhapsody of the Seas

Espero que as informações sejam úteis, já que para mim, foi muito difícil encontrar esse tipo de coisa antes de viajar!

Beijos,
Carol-Borba

DIÁRIO DE VIAGEM – LENÇÓIS MARANHENSES DIA 05

Oiee!!

Continuando o diário da minha viagem lááá de Junho 🙂 Para ver sobre os outros dias, é só clicar aqui!

Esse dia foi um dos mais encantadores. Sem pensar duas vezes, responderia que foi o lugar mais bonito que já vi na vida.

Saímos cedo de Barreirinhas com destino aos Lençóis Maranhenses. Eu já tinha ouvido falar e visto fotos, mas estar lá é outra coisa. Assim que pegamos a balsa para atravessar o rio nosso guia perguntou se iríamos almoçar lá e passou pra gente quais eram as opções. Achamos a situação engraçada mas ele explicou: lá não tem restaurantes e tem somente uma senhora que faz o almoço de acordo com a quantidade de pessoas e a preferência (tinha carne, frango e camarão). Então logo cedo já encomendamos nosso almoço.

Inicialmente, o nosso passeio era apenas em uma das lagoas, ou seja, sem almoço e só um período. Devido os problemas que tivemos com o primeiro guia e toda a falta de vontade dele, insistimos que mereceríamos uma compensação hahaha. Foi a melhor coisa que ganhamos, pois vale muito apena fazer as duas principais lagoas (Lagoa Azul e Lagoa Bonita), ou seja, um dia inteiro.

O caminho todo até os Lençois é impressionante, é só uma estrada no meio da vegetação passando por dentro de “poças” que vão formando por causa das chuvas. Nas fotos vocês entendem o que eu quero dizer hahah. Cerca de uma hora de carro que somente um guia saberia levar!

Quando chegamos, a vista é impressionante, principalmente quando paramos para pensar que o que vemos é só um pequeno pedaço. Aquela paisagem estende-se por 155 mil hectares. Não tinham muitas pessoas visitando, passa até a impressão que é um lugar ainda pouco explorado pelos brasileiros, ainda bem! 🙂 Nada de lanchonetes, guarda-sol, vendedores ambulantes, nem nada do tipo. O ideal é levar uns lanchinhos (levamos frutas e bolachas), muita água e protetor solar. As águas são transparentes e não tem nenhuma sombra.

Partimos pro almoço e mais uma vez ficamos impressionados. O lugar era simples, com fogão a lenha, sem energia elétrica e sem nenhuma tecnologia! Vocês conseguem imaginar um lugar assim hoje? Eu fiquei impressionada. A comida era ótima, adoramos tudo. Descansamos depois do almoço nas redes que tinham lá e fomos para a segunda parte.

Apesar de existirem as lagoas mais famosas que são as maiores e mais fundas, escolhemos uma só pra gente passar a tarde hahah. São tantas opções que não é aquela lotação de gente, sabem? Adorei isso. Ficamos tranquilos, sozinhos, sem barulho, aproveitando a natureza e a beleza daquele lugar.

No fim do dia, fomos assistir o pôr do sol em cima das dunas para depois voltar pra pousada.

dia 05

Ali em cima coloquei uma foto da visão “do outro lado” dos lençóis, que é de onde viemos. Viram como não tem nada ao redor? Só árvores e mais árvores! Nessa última parada ainda tinham umas barraquinhas vendendo tapioca (hmmm delícia!), café e artesanato. As pessoas que vendem ali moram nos arredores, mas nada de luxo também, vivem com simplicidade e provavelmente uma vida muito diferente da nossa.

Por fim, uma selfie com o nosso guia (o Lindinho) que foi muito prestativo!

Para saber mais sobre os Lençóis Maranhenses, achei esse site!

O próximo post vou mostrar o último dia e mais informações sobre as pousadas e o roteiro que fizemos!

Beijos,

ana-caroline

DIÁRIO DE VIAGEM – MARANHÃO DIA 4

Nossaaa! Não acredito que esse post ainda estava parado aqui hahah Opsss…

O dia 4 da viagem foi tão lindo quanto os outros. Saímos cedinho a caminho do Maranhão. Depois de algumas horas de asfalto, chegamos em uma cidadezinha pequena e pegamos a areia para encontrar o nosso barco. A princípio, tínhamos que chegar as 11h para pegar a lancha voadeira. O caminho foi bem tenso, era uma imensidão de areia e parecia que íamos ficar perdidos pra sempre lá no meio hahah Além disso, a areia estava muito mole e cheio de árvores quebradas, o risco de atolar era grande. Passada a fase do medo, chegamos a um lugar incrível! Sério, quando chegamos ficamos boquiabertos. Um restaurante delicioso em cima das dunas e um clima aconchegante.

Conversamos com o guia da lancha e decidimos almoçar ali mesmo e sair só mais tarde. Alugamos um quadriciclo e foi demais! Eu que dirigi e foi muito divertido hahah Só deixa a gente fedida à oleo, mas sempre quis andar com um. Demos uma volta por tudo, de um lado o mar e de outro o rio, lindo demais! O almoço estava uma delícia também e depois de descansar um pouquinho, pegamos a lancha para seguir nosso caminho pelo Rio Preguiças para chegar em Barreirinhas que foi onde passamos as duas últimas noites.

Geralmente quando eu viajo, não sinto muita vontade de voltar no mesmo lugar, mas sim conhecer novos. Essa viagem foi tão incrível que eu tenho vontade de repetir.

Ficamos horas andando pelo rio, sensação maravilhosa! Fizemos parada no Farol Preguiças, bem simples e pequeno o lugar com alguns moradores. Vale a pena subir o farol porque a vista lá de cima é maravilhosa! A segunda parada foi para conhecer os Pequenos Lençois, que não tem muita graça. O legal desse lugar que paramos é que tinham macaquinhos!!!! Compramos banana e a gente tratava eles na boca. Muito engraçado hahaha Eles chegavam pertinho e eram super comilões, alguns bem trapaceiros e a experiência foi demais.

No fim da tarde, chegamos em Barreirinhas. A cidade é um pouco maior, mas tudo bem simples. Tem mais opções de restaurantes. A pousada que ficamos era gigante, café da manhã bom, o único problema é que fica bem nas margens do rio e por isso era LOTADO (e quando eu digo LOTADO é realmente LOTADO) de pererecas. kkkkkkkkkkk Quem me conhece sabe que eu tenho pavor desses pequenos seres, então a noite rolava um mini desespero para sair e voltar ao quarto, mas sobrevivi.

maranhão

Que saudades!

No próximo post vou contar dos Lençois Maranhenses, se eu tivesse que escolher o lugar preferido da viagem, diria que foi esse! Prometo que não demoro tanto pra voltar 😛

Beijos,

ana-caroline

CONHECENDO O HARD ROCK DE CURITIBA

Oi, meninas!

Contei aqui no último look que fui passear em Curitiba no início de Setembro, lembram? Já conhecia a cidade, mas sempre é bom voltar para um lugar que a gente gosta, né?

Bom, um lugar que não conhecia e queria muito ir era o Hard Rock Cafe! O local abriu em maio, então é bem novo e lotado (como é novidade na cidade, tem fila sempre!). A estrutura é linda e super moderna! Não é tão grande quanto o de Orlando (que era o único outro que conhecia, mas que é o maior do mundo, então acho que não tem como comparar haha), mas a decoração é igualmente linda.

Chegamos logo depois das 19hs e pegamos uma fila curta para entrar. Mas entrando é preciso pegar uma senha para então aguardar por uma mesa. Essa espera levou mais ou menos 40 minutos, mas ficamos na loja então o tempo voou. Na hora em que saímos, perto das 11hs, a fila para pegar senha estava enoooorme, então a dica é chegar cedo!

A comida é muito boa! Pedimos o hamburguer tradicional da rede e vale muito a pena. O atendimento é tão bom quanto. O momento da noite é quando todos os funcionários vão até o palco fazer uma coreografia, do nada, como um flash mob. É muito divertido!

blog7

blog2

blog3

blog

blog4

blog5

blog6

BLOG8

O Hard Rock Curitiba fica na Rua Buenos Aires, 50, no Batel!

Quem já conhece o lugar?

Beijos,
Carol-Borba