DIÁRIO DE VIAGEM: JERICOACOARA 2017

Oiee!! Tudo bem com vocês?

Hoje vim contar pra vocês um pouquinho da minha viagem para Jericoacoara desse ano. Na minha família virou tradição, nos últimos anos tiramos uma semana de férias e vamos conhecer um pedacinho do nordeste do Brasil. A primeira vez foi Fortaleza e arredores, depois saímos de Fortaleza e fomos até os lençóis maranhenses e ano passado de Fortaleza até Natal. Todos esses lugares são paisagens diferentes, clima maravilhoso e acende um amor ainda maior pelo nosso país. Acho que já deu de perceber que gostamos de lá né? Hahahaha É que cada ano vamos descobrindo novas coisas para fazer!

Em 2015 havíamos visitado Jericoacoara bem rapidinho (até contei aqui no blog). A vila nos impressionou demais e nesse ano decidimos voltar com mais tempo para explorar cada cantinho. Parece que conhecemos um novo lugar!

Saímos de Blumenau na sexta (21/07) e nosso voo era até Fortaleza (dica: agora já tem aeroporto em Jericoacoara, compensa demais se esse for o único destino da viagem). Chegamos em Fortaleza no fim da tarde, passeamos um pouquinho pelo centro e a noite dormimos em Flecheiras. No sábado passeamos por essa parte do litoral que é linda e após o almoço começamos o caminho até Jeri.

De Fortaleza à Jericoacoara são cerca de 300 km, mas pode levar umas 5 horas para chegar até a vila. Nosso guia foi passando pelas praias, subimos dunas e encontramos lugares lindos, como os abaixo:

Chegamos no fim de tarde em Jericoacoara, jantamos e a noite decidimos conhecer o tradicional forró! Gente, que experiência incrível. Eu estou numa fase da vida que amo festinhas (hahah), então achei muito divertido. Foi algo completamente diferente do tipo de festa que eu vou, casais dançando e também vários turistas curiosos. Como era sábado, naquela noite era o Forró da Dona Amelia, o lugar é um restaurante e depois das 23:30h é que começa a festa. A entrada foi R$ 20,00. Vale a pena conhecer! Ah, cada dia o forró é em um lugar diferente, só se informar pela vila.

Outra dica da vida noturna de Jeri são as barraquinhas de caipirinha na beira da praia. A variedade é enorme, só escolher! Alguns dias da semana tem DJ tocando música por ali e o lugar lota. O bom é que fica ao ar livre e não precisa pagar para participar.

O dia seguinte foi livre e passamos na praia. É possível alugar cadeiras e guarda-sol. No fim do dia, subimos a Duna do Pôr do Sol para acompanhar o fim de tarde. Lá em cima venta muito, ou seja, areia voa toda em você (não adianta ir depois do banho ou arrumadinho porque sai de lá empanado kkkkkk) mas compensa demais. Sem dúvida o pôr do sol mais lindo que eu já vi na vida. É atração turística, a duna fica lotada!

Na segunda-feira tínhamos o primeiro passeio programado, saímos para o lado oeste, fizemos o passeio para ver os cavalos marinhos de barco, mangue seco até chegar em Tatajuba para almoçar e ficar até o fim do dia. Lá tem um escorregador que cai dentro da lagoa (R$ 10,00 para descer 3x) e stand up e caiaque para alugar. O restaurante é uma delícia (vou fazer um post contando as dicas mais específicas de onde comer/hospedar/etc).

Duas curiosidades: por ser no meio das dunas, não tem energia elétrica no local. Então, nosso suco de abacaxi, por exemplo, não foi feito no liquidificador e sim na mão mesmo! Outra coisa é que quando pedimos o cardápio, surgiu o garçom com os peixes/camarões/lagosta em uma travessa hahahah, era só escolher o que queria, ao vivo mesmo.

No dia seguinte, turistamos para o lado leste. A primeira (e mais longa) parada foi na Lagoa do Paraíso. Passamos praticamente o dia todo lá em um Beach Club chamado Alchymist. Já havíamos visitado a lagoa na viagem antiga, mas parecia que estávamos em um local totalmente diferente. Esse Beach Club é muito bem estruturado e gigante, totalmente direcionado para turistas. O preço é um pouco mais salgado, mas vale a pena passar o dia. É lá que tem as redes dentro da lagoa e a água super transparente cheia de peixes. Além disso também é possível alugar stand up e caiaque. Saímos de lá umas 15h e passamos pela Lagoa Azul, Praia do Preá e Árvore da Preguiça.

Os outros dias tínhamos livres e faltava só a Pedra Furada para finalizar os pontos turísticos. A maioria dos passeios ao fazer o lado leste também já param ali, mas a dica é ir até lá do centro de Jeri caminhando ou de charrete. Os carros acabam deixando numa distância bem longa da Pedra e é quase a mesma de andar do centro. A diferença é que andando do centro, além de não perder um tempo que poderia estar nas Lagoas, por exemplo, a vista pela praia é simplesmente maravilhosa! A caminhada é razoavelmente cansativa, mas vale MUITO a pena. Para quem não quiser andar tanto, as charretes chegam muito mais perto da pedra do que os carros ou bugues. E se quiserem uma dica ainda melhor, em determinadas épocas do ano o sol se põe bem no meio da pedra e é sensacional, eu acabei não indo – bobiei – e me arrependi. Fica a dica!

Essa foto do pôr do sol na Pedra Furada nossos amigos que tiraram, maravilhoso né? Eu vi o pôr do sol quase todos os dias e fiquei emocionada, vale a pena ver mesmo que da praia.

Gente, e esse céu azul? E a cor dessa água? Sem palavras!!

Jericoacoara tem um clima incrível, as ruas são todas de areia, tem uma vibe deliciosa e eu fiquei ainda mais apaixonada. Sem dúvidas voltarei.

No meu Instagram eu fiz um mini vídeo com alguns momentos da viagem:

Saudades desse paraíso 💛 #tbt

A post shared by Ana Caroline Cunha (@aneinha) on

 

Gostaram do post?

Beijos,

Ana Caroline

GRAMADO – DIÁRIO DE VIAGEM

Oi, meninas!
Tudo bem? Como passaram o feriadão?

Eu fui aproveitar esses três dias na serra gaúcha, em Gramado e foi muito bom. Eu já conhecia a cidade, fui algumas vezes quando mais nova, mas o Matheus nunca havia ido, por isso passamos por todos os pontos turísticos de lá.

Saímos de Blumenau na sexta-feira pela manhã e, depois de alguns imprevistos com a estrada no caminho, chegamos em Gramado no meio da tarde. A cidade estava como eu nunca tinha visto, coberta por uma neblina que deixou tudo branquinho! Apesar de a temperatura não estar tão baixa, por volta dos 17ºC, o vento fazia com que a sensação fosse bem menor.

Gramado

Nossa primeira parada foi no McDonald’s (que fica em uma construção mega diferente!) para “almoçar” rapidinho. Depois, continuamos pelo centro da cidade a pé para ver as lojinhas e os pontos principais, como a Igreja, a Rua Coberta e a Rua Torta. No final da tarde fomos para o hotel para nos arrumar para jantar.

Gramado

Gramado

Gramado

Gramado

Gramado

Gramado

Um dos lugares mais tradicionais de Gramado são os cafés coloniais, é quase uma parada obrigatória! Nós escolhemos o Bela Vista, pois eu já havia ido e é o mais conhecido por lá. Gente, é muita comida! Mas antes de irmos jantar, resolvemos dar uma passada rápida em Canela, apenas para ver o centrinho e a Igreja, que a noite tem uma iluminação linda que muda de cor!

Gramado - Canela

Gramado - Café Bela VIsta

Gramado - Café Bela Vista

O segundo dia começou por outra parada obrigatória: o Lago Negro. O lugar é muito lindo, e a volta ao redor do lago é uma caminhada supergostosa de fazer. Depois de lá, fomos para um lugar que eu ainda não conhecia, um parque de lavandas. Não é tão incrível quanto parecia, mas vale a visita. O parque também conta com uma lojinha e um café, e o apple strudel de lá é o que mais vale a pena no passeio!

Gramado - Lago Negro Gramado - Lago Negro

Gramado - Parque de Lavandas

Gramado - Parque de Lavandas Gramado - Parque de Lavandas Gramado - Parque de Lavandas Gramado - Parque de Lavandas Gramado - Apple Strudel

Depois de lá seguimos para a parte mais divertida da viagem, o Snowland! Ficamos lá até o final da tarde e não paramos um segundo! Começamos pelo simulador de ski, seguimos para a patinação no gelo, e depois fomos para a parte gelada do parque. Na Montanha de Neve a temperatura chega a -4ºC! Eu já viajei para uma estação de ski, então já sabia como era a neve, mas para o Matheus foi o primeiro contato. O parque é superdivertido e, mesmo tendo o ingresso um pouco carinho, vale a pena! Mas cansa muito! Quando saímos do parque passamos em algumas lojas de chocolate e depois fomos para o hotel.

Gramado - Snowland

Vilarejo Alpino
Vilarejo Alpino
Montanha de Neve - Snowland
Montanha de Neve – Snowland
Montanha de Neve - Snowland
Montanha de Neve – Snowland

Gramado - Chocolate LuganoGramado

O jantar dessa noite foi um fondue delicioso. Pesquisamos alguns restaurantes que servem fondue e acabamos optando por um menorzinho, mas super aconchegante e gostoso.

Gramado - Fondue Gramado

No domingo tínhamos apenas a manhã para aproveitar, então fomos até o Parque do Caracol, onde fica localizada a cascata de mesmo nome. O passeio mais conhecido de lá é a escadaria que proporciona vistas lindas da cachoeira, mas infelizmente o caminho estava interditado :/ Fizemos então todas as outras trilhas do parque! O lugar é lindo e é muito bom sair um pouco da cidade.

Cascata Caracol, no Parque do Caracol, em Canela
Cascata Caracol, no Parque do Caracol, em Canela

Gramado - Cascata Caracol

Depois de lá pegamos a estrada para voltar para casa :/

O tempo foi curto mas foi muito bom!
Para quem quiser dicas de lá, vou fazer um post mais detalhado sobre os lugares que fomos!

Beijos,

 

 

OSTERFEST EM POMERODE!

IMG_5926

Domingo passado foi dia de passeio em família!

Fomos até Pomerode visitar a Osterfest. O evento já está em sua 8ª edição e a grande “atração” é a Osterbaum, uma árvore com cerca de 120 mil cascas de ovos pintadas. O nosso passeio foi em um domingo pós almoço e o local estava LOTADO de gente. Para quem tem disponilidade, eu indicaria ir durante a semana pois deve ser mais tranquilo. Estava complicado de se locomover e foi até difícil de ver tudo que o lugar disponibiliza.

IMG_5924 osterfest

O local tem várias atrações, principalmente para as crianças, entre elas passeio de trenzinho, casa do coelho, passeio de pônei e pintura de ovos. Até eu me diverti tentando pintar os ovinhos (que não deu muito certo hahahaha)

osterfest   osterfest

Apesar da fama da árvore com 120 mil ovos (que são de plástico), a que eu achei mais bonita foi essa abaixo. Ela fica em um lugar fechado e é lotada de ovos de verdade, cerca de 10 mil!

osterfest osterfest pascoa

osterfest

Foto da Carol, que foi no mesmo dia, um pouco mais tarde! 😛

Para quem quiser visitar a Osterfest fica no Centro Cultural de Pomerode, até 27 de março, de quinta a domingo, das 10h às 19h. A área externa de visitação é gratuita e tem horários diferenciados aos finais de semana: sábado até às 21h e domingo até às 20h.

Mais informações sobre a Osterfest aqui.

 

Beijos,

ana-caroline

DIÁRIO DE VIAGEM – LENÇÓIS MARANHENSES DIA 05

Oiee!!

Continuando o diário da minha viagem lááá de Junho 🙂 Para ver sobre os outros dias, é só clicar aqui!

Esse dia foi um dos mais encantadores. Sem pensar duas vezes, responderia que foi o lugar mais bonito que já vi na vida.

Saímos cedo de Barreirinhas com destino aos Lençóis Maranhenses. Eu já tinha ouvido falar e visto fotos, mas estar lá é outra coisa. Assim que pegamos a balsa para atravessar o rio nosso guia perguntou se iríamos almoçar lá e passou pra gente quais eram as opções. Achamos a situação engraçada mas ele explicou: lá não tem restaurantes e tem somente uma senhora que faz o almoço de acordo com a quantidade de pessoas e a preferência (tinha carne, frango e camarão). Então logo cedo já encomendamos nosso almoço.

Inicialmente, o nosso passeio era apenas em uma das lagoas, ou seja, sem almoço e só um período. Devido os problemas que tivemos com o primeiro guia e toda a falta de vontade dele, insistimos que mereceríamos uma compensação hahaha. Foi a melhor coisa que ganhamos, pois vale muito apena fazer as duas principais lagoas (Lagoa Azul e Lagoa Bonita), ou seja, um dia inteiro.

O caminho todo até os Lençois é impressionante, é só uma estrada no meio da vegetação passando por dentro de “poças” que vão formando por causa das chuvas. Nas fotos vocês entendem o que eu quero dizer hahah. Cerca de uma hora de carro que somente um guia saberia levar!

Quando chegamos, a vista é impressionante, principalmente quando paramos para pensar que o que vemos é só um pequeno pedaço. Aquela paisagem estende-se por 155 mil hectares. Não tinham muitas pessoas visitando, passa até a impressão que é um lugar ainda pouco explorado pelos brasileiros, ainda bem! 🙂 Nada de lanchonetes, guarda-sol, vendedores ambulantes, nem nada do tipo. O ideal é levar uns lanchinhos (levamos frutas e bolachas), muita água e protetor solar. As águas são transparentes e não tem nenhuma sombra.

Partimos pro almoço e mais uma vez ficamos impressionados. O lugar era simples, com fogão a lenha, sem energia elétrica e sem nenhuma tecnologia! Vocês conseguem imaginar um lugar assim hoje? Eu fiquei impressionada. A comida era ótima, adoramos tudo. Descansamos depois do almoço nas redes que tinham lá e fomos para a segunda parte.

Apesar de existirem as lagoas mais famosas que são as maiores e mais fundas, escolhemos uma só pra gente passar a tarde hahah. São tantas opções que não é aquela lotação de gente, sabem? Adorei isso. Ficamos tranquilos, sozinhos, sem barulho, aproveitando a natureza e a beleza daquele lugar.

No fim do dia, fomos assistir o pôr do sol em cima das dunas para depois voltar pra pousada.

dia 05

Ali em cima coloquei uma foto da visão “do outro lado” dos lençóis, que é de onde viemos. Viram como não tem nada ao redor? Só árvores e mais árvores! Nessa última parada ainda tinham umas barraquinhas vendendo tapioca (hmmm delícia!), café e artesanato. As pessoas que vendem ali moram nos arredores, mas nada de luxo também, vivem com simplicidade e provavelmente uma vida muito diferente da nossa.

Por fim, uma selfie com o nosso guia (o Lindinho) que foi muito prestativo!

Para saber mais sobre os Lençóis Maranhenses, achei esse site!

O próximo post vou mostrar o último dia e mais informações sobre as pousadas e o roteiro que fizemos!

Beijos,

ana-caroline

DIÁRIO DE VIAGEM – MARANHÃO DIA 4

Nossaaa! Não acredito que esse post ainda estava parado aqui hahah Opsss…

O dia 4 da viagem foi tão lindo quanto os outros. Saímos cedinho a caminho do Maranhão. Depois de algumas horas de asfalto, chegamos em uma cidadezinha pequena e pegamos a areia para encontrar o nosso barco. A princípio, tínhamos que chegar as 11h para pegar a lancha voadeira. O caminho foi bem tenso, era uma imensidão de areia e parecia que íamos ficar perdidos pra sempre lá no meio hahah Além disso, a areia estava muito mole e cheio de árvores quebradas, o risco de atolar era grande. Passada a fase do medo, chegamos a um lugar incrível! Sério, quando chegamos ficamos boquiabertos. Um restaurante delicioso em cima das dunas e um clima aconchegante.

Conversamos com o guia da lancha e decidimos almoçar ali mesmo e sair só mais tarde. Alugamos um quadriciclo e foi demais! Eu que dirigi e foi muito divertido hahah Só deixa a gente fedida à oleo, mas sempre quis andar com um. Demos uma volta por tudo, de um lado o mar e de outro o rio, lindo demais! O almoço estava uma delícia também e depois de descansar um pouquinho, pegamos a lancha para seguir nosso caminho pelo Rio Preguiças para chegar em Barreirinhas que foi onde passamos as duas últimas noites.

Geralmente quando eu viajo, não sinto muita vontade de voltar no mesmo lugar, mas sim conhecer novos. Essa viagem foi tão incrível que eu tenho vontade de repetir.

Ficamos horas andando pelo rio, sensação maravilhosa! Fizemos parada no Farol Preguiças, bem simples e pequeno o lugar com alguns moradores. Vale a pena subir o farol porque a vista lá de cima é maravilhosa! A segunda parada foi para conhecer os Pequenos Lençois, que não tem muita graça. O legal desse lugar que paramos é que tinham macaquinhos!!!! Compramos banana e a gente tratava eles na boca. Muito engraçado hahaha Eles chegavam pertinho e eram super comilões, alguns bem trapaceiros e a experiência foi demais.

No fim da tarde, chegamos em Barreirinhas. A cidade é um pouco maior, mas tudo bem simples. Tem mais opções de restaurantes. A pousada que ficamos era gigante, café da manhã bom, o único problema é que fica bem nas margens do rio e por isso era LOTADO (e quando eu digo LOTADO é realmente LOTADO) de pererecas. kkkkkkkkkkk Quem me conhece sabe que eu tenho pavor desses pequenos seres, então a noite rolava um mini desespero para sair e voltar ao quarto, mas sobrevivi.

maranhão

Que saudades!

No próximo post vou contar dos Lençois Maranhenses, se eu tivesse que escolher o lugar preferido da viagem, diria que foi esse! Prometo que não demoro tanto pra voltar 😛

Beijos,

ana-caroline

DIÁRIO DE VIAGEM: DELTA DO PARNAÍBA – DIA 3

Oi gente, tudo bem?

Preparem-se para outro post gigante! Hahaha Preciso confessar pra vocês que nessa viagem me apaixonei ainda mais pelo Brasil, que sorte a nossa em viver em um país cheio de belezas naturais!

O terceiro dia foi para conhecer o Delta do Parnaíba no Piauí, uma beleza bem diferente de Jericoacoara, mas não menos impressionante. Saímos de Parnaíba cedinho para pegar uma lancha que nos levaria nesse passeio. O guia era ótimo! Explicava tudo certinho, tinha um senso de humor ótimo e bem receptivo. Começamos pelo Rio Parnaíba até sair no mar, que de um lado é o Maranhão e de outro o Piauí. Ele passou  ainda por uns canais menores para vermos macacos fofos e tentar encontrar algum jacaré, mas não conseguimos. Vimos os manguezais de pertinho que são lotados de carangueiros e descemos para sentir a lama e bater fotos! Muitooo legal.

Fizemos uma parada numa pousada um pouco depois e quando pedimos uma água de coco eles falaram que não tinham. Meu pai deu uma olhada em um coqueiro na parte de fora (lotado de cocos) e falou que eles podiam arrancar do pé pra gente tomar. Falou brincando, mas no fim todos levaram a sério! Eles subiram no coqueiro e foi muito divertido. Tomamos uma água de coco, fresquinha, tirada na hora do pé e eles ainda nem cobraram nada. Como não amar essas pessoas boas que cruzamos pelo mundo? É por isso que amo viajar, amo essas experiências e serei uma eterna viajante.

Como o passeio era privativo, a gente que decidia os horários. O passeio acabou cedo, lá pelas 11h já estávamos de volta depois de passar por mais alguns lugares legais. Quando fomos pegar o carro para voltar pra pousada, acreditam que o carro não pegava? Sério! Que ódio!!!! Ficaram quase 1 hora até o carro pegar e a gente morrendo de fome hahahh

Para compensar, o motorista decidiu mostrar pra gente a praia Pedra do Sal, foi onde almoçamos! Vale a pena a visita pois tem paisagens lindas. O mar não achei muito legal para banho, mas eu sou meio chatinha nesse aspecto hahah.

Saímos de lá no meio da tarde. No fim do dia visitamos o shopping Paranaíba, jantamos lá e depois fomos em uma missa incrível! Para quem é católico, recomendo muito ir na catedral da cidade. A missa foi muito linda e emocionante. Um fato histórico interessante: perto da catedral principal, tem uma outra mais simples, que antigamente eram para os escravos e negros. Esses não podiam frequentar a mesma que os brancos. Loucura né? Vale a pena visitar as duas!

Agora vamos as fotos:

IMG_4281-vert

Para saber mais sobre o Delta do Parnaíba: http://deltarioparnaiba.com.br/delta-parnaiba-historia/

Beijos,

ana-caroline

 

DIÁRIO DE VIAGEM – JERICOACOARA – DIA 2

Oiee!

Gostaram do primeiro post da viagem? Quem não viu é só clicar aqui!

Como eu falei no post anterior, o combinado era passar apenas o primeiro dia em Jericoacoara e já sair logo cedo no outro dia para o Delta do Parnaíba, no Piauí. Quando chegamos na pousada depois da janta, o nosso motorista deixou um recado que sairíamos apenas as 11h por causa da “maré alta”. Ficamos felizes pois poderíamos aproveitar um pouquinho a manhã e conhecer a cidade durante o dia.  Acordamos cedinho e fomos para a praia, uma delícia gente! Lugar maravilhoso, tomamos muita água de coco, banho de mar, caminhamos e voltamos pra pousada umas 10h. Chegando lá, o motorista avisou que tinha mandado o carro arrumar e que ficaria pronto só umas 14h….. Ai começou um pouco os perrengues da viagem. Mas nem nos estressamos e voltamos a passear, almoçamos lá mesmo (tem a foto ali embaixo do prato delicioso).

Finalmente, umas 14h, saímos de Jericoacoara para o Delta do Parnaíba. Quando começamos a subir as dunas, não deu um estouro no carro? kkkkk Sim!!!!! Tivemos que voltar na oficina, deu o maior atraso, que raiva! No fim deu tudo mais ou menos certo, mas o motorista foi rápido, passamos por paisagens lindas e ele só falava que não podia parar pois já estava tarde, a maré ia subir, o carro atolar e etc… Sério, da outra vez que fomos o motorista era SUPER gente boa, explicava tudo, sabia onde a gente tava, contava a história do lugar, parava para fotos quanto tempo quiséssemos e etc.

A única parada que ele fez foi em cima de uma duna com vista maravilhosaaa! As fotos não retratam a beleza do lugar, só estando lá mesmo. Ah, nessa hora ele ficou apressando a gente e falando que só poderíamos ficar alguns minutos e nem as fotos ficaram tão boas hahah. Mas faz parte!

Chegamos no fim do dia em Parnaíba, o caminho que fizemos é uma parte pela beira do mar (na areia mesmo, pertinho do mar, passando por manguezais e tudo!) e depois pegamos o asfalto. Chegando lá, saímos para jantar e voltamos pra pousada.

Acho que deu pra ter um pouco de noção da beleza desses lugares né? Fiquei apaixonada! No próximo post vou falar do nosso passeio no Delta do Parnaíba, que foi maravilhoso também.

Beijos,

ana-caroline

 

DIÁRIO DE VIAGEM – JERICOACOARA – DIA 1

Oiii gente!! Tudo bem?

Mais um diário de viagem começando aqui no blog! Quem acompanha a gente no Insta (@blabladodia) já viu que eu fui pro Nordeste no feriado de Corpus Christi. Ficamos viajando por uma semana e passamos pelo Ceará, Piauí e terminamos no Maranhão. A viagem foi incrível e vou contar detalhadamente pra vocês 🙂

Saímos de Blumenau na quinta-feira e o primeiro dia foi só de viagem. Desembarcamos no aeroporto de Fortaleza já era fim da tarde e pegamos o carro até Jericoacoara, cerca de 4 horas de viagem.

Como quem planejou a viagem toda foi meu pai, não tinha muita noção do que ia ser, tinha pesquisado um pouco mas nem imaginava o que era Jericoacoara. Achei no site deles uma definição muito legal e que descreve exatamente o lugar:

Jericoacoara é um Parque Nacional localizado a 300 km a oeste de Fortaleza. Reúne um conjunto de belezas naturais de diferentes biomas criando um lugar único. […] A vila não possui postes de iluminação para preservar a iluminação proveniente da lua e das estrelas, as ruas são de areia e não existe estrada de acesso nos últimos 15 km, portanto é necessário veiculo 4×4 para chegar.

http://www.portaljericoacoara.com.br/

A cidade foi uma verdadeira surpresa pois é bem diferente da minha realidade. Lá é tudo muito simples e aconchegante. Como estávamos muito cansados da viagem, demos uma voltinha e escolhemos um lugar para jantar. Os restaurantes de lá são maravilhosos! Comemos muuuuito bem. Nesse primeiro lugar (que esqueci o nome hehehe) pegamos um prato com peixe, camarão e lagosta! O preço acessível e o sabor delicioso. Inclusive, voltamos no dia seguinte para almoçar de tão delicioso.

No dia seguinte, começamos os passeios. Estávamos com uma 4×4 e fomos passeando por meio das dunas até chegar na Lagoa do Paraíso! Que lugar delicioso, não tenho nem palavras para explicar. A água é transparente, o dia estava lindo, tem várias redes no meio da água e mais uma vez comida muito boa! Ficamos lá um tempão.

Saímos no começo da tarde para ir na famosa Pedra Furada. Antes paramos para tirar foto na árvore da preguiça, que vocês vão ver nas fotos ali embaixo.

Para chegar na Pedra Furada, precisa caminhar um trechinho que parece meio longo considerando o calor do nordeste hahah. E sincesamente, achei meio sem graça, só porque virou um ponto turístico mesmo, só fomos lá bater fotos.

Voltamos para a pousada, descansamos um pouco e fomos dar uma volta em Jeri a noite! O lugar é muito legal e diferente, ficamos todos impressionados, tem bastante restaurante e opções para se divertir. Fuçamos pelos “becos” e nos apaixonamos mais ainda. Jantamos numa pizzaria nesse dia.

Vamos as fotos:

BLOG

Até então, achávamos que era nosso último dia por ali pois sairíamos cedo no outro dia para o próximo destino. Mas isso fica para o próximo post hahahah!

Beijos,

ana-caroline

 

BOY DO DIA: MARLON TEIXEIRA

Genteee, como deixamos essa categoria parada tanto tempo? Kkkkkk Vamos ressuscitar já!

Hoje vamos comentar (e animar o dia) com o boy da Bruna Marquezine hahah. O Marlon Teixeira é de Santa Catarina, tem 23 anos e é modelo. Ele não é qualquer modelo, graças a sua beleza já trabalhou para Dior, Armani, Dolce & Gabbana, Roberto Cavalli e etc.

Parece que a Bruna Marquezine finalmente acordou e percebeu que podia ter um boy magia na mão! Eles passaram férias juntos aqui em SC, lugar que o Marlon adora! O modelo não mora mais no Brasil mas é apaixonado por nosso país, principalmente sua terra natal. Sorte das catarinenses né? Já pensou esbarrar com ele nas praias daqui?!

Vale a pena o like no Instagram dele que é recheado de fotos dos lugares que passa e, claro, de sua beleza de babar! Acho um pouco brega o jeito que ele escreve (sorry kkkk) mas as fotos compensam 😛

Quem ainda não conhece, prepare-se para se encantar pelo moreno de cabelo jogado, barba por fazer e corpitxo definido, enjoy:boy do diaQuem também acha ele gato?!

Para conferir outros boys que já apareceram nessa categoria é só clicar aqui! Mesmo um pouco desatualizado, boy lindo continua lindo! hahah

Beijos,

ana-caroline

 

DIÁRIO DO FIM DE SEMANA: GRAMADO

Olá meninas, tudo bom?

Finalmente de férias, nem acredito! Foi um semestre cheio pra mim e estou bem exausta. Quero aproveitar bem as férias (mesmo que só com as noites livres) e me dedicar ao blog, à leituras e às séries que tanto amo.

No fim de semana passado fomos à Gramado, um lugar que meu pai é apaixonado. Saímos sábado, dormimos em Caxias do Sul, passamos o domingo em Gramado e voltamos pra Blumenau na segunda, ufa! Hahaha

10836184_811761215532828_663329467_n

Fiquei assustada como Gramado mudou desde a última visita, acho que faz uns 5 anos que não íamos pra lá e está lotado de turistas! Foi um mega trabalho estacionar e a noite pra ver as luzes nem pensar em ir de carro!

A cidade está muito linda e mais charmosa que nunca, acho que quem nunca foi, tem que ir! Acabamos não fazendo muita coisa diferente pois já visitamos umas 4 vezes e conhecemos a maioria dos programas turísticos. Estava tentando achar as fotos das outras viagens aqui no computador mas não sei aonde estão, então vou contar só o que eu fiz nesse fim de semana mesmo.

Assim que chegamos, sem muita sinalização ou placas, passamos pela Snowland. Essa atração abriu faz pouco tempo e é um espaço para quem quiser ver neve! Recentemente estive no Chile e matei toda a curiosidade que existia em relação a neve, nem acredito que em tão pouco tempo já tive o prazer de vê-la novamente hahaha

Na Snowland compramos o pacote de R$ 89,00 por pessoa que dá direito à entrar no espaço de lojas, pista de patinação por 30 minutos e ver a neve por 2 horas, com as roupas necessárias. Para esquiar tem mais uma taxa e se não quiser ver a neve é um pouco mais barato, mas não vale a pena pagar só pra ver loja né?

Começamos pela patinação e foi muito divertido hahaha Eu e minha mãe mal conseguimos soltar o corrimão, o negócio é muito difícil gente! Ri muito.

Depois fomos pra neve e foi meio sem graça kkk Primeiro que a luva que eles dão não é impermeável. Neve é água, gelada, muito gelada, hiper gelada! Aquilo congela sua mão de um jeito que você só consegue pensar em sair do lugar. Eu burrinha não tinha percebido isso e já meti a mão na neve, depois tava muito desconfortável, passei muito frio. Outra coisa: é obrigatório estar com meia, eles não avisaram e fomos obrigadas a pagar 10 pila em uma meia, ninguém merece né? Fora isso, no lugar tem boias pra descer que já estão inclusas no pacote, fomos uma vez e logo a fila lotou. Não esquiamos. No fim, acho que ficamos uns 30 minutos na neve e saímos de tanto frio que estávamos 😛

snowland

Conclusão da Snowland: Se você nunca tiver visto a neve, acho um passeio bem legal. Quem estiver com crianças também, pois tem um castelo legal pra eles se divertirem. Só acho bacana se preparar com cachecol e uma luva melhor. 🙂

Saindo de lá, fomos para o centro de Gramado almoçar e passear até as 17h que tinha missa. Mais tarde fomos pra pousada tomar um banho e voltamos perto das 21h para ver as luzes acenderem, muito lindo! O jantar foi foundue <3

cidade

Foi praticamente isso, recomendo ficar mais dias aproveitando a cidade, tem váááários programas e muita coisa para aproveitar.

Beijos,

ana-caroline