VIAGEM: CONTIKI – EUROPEAN DISCOVERY / DESCOBRINDO A EUROPA

Oie! Hoje vou contar pra vocês minha experiência com a empresa Contiki!

Quem me acompanhou pelo Instagram do blog no mês passado viu que eu fiz uma viagem pela Europa e hoje vou dar os detalhes 🙂

Bom, tudo começou com uma meta minha para esse ano: fazer uma viagem internacional.

Falei com amigos, família, fiz alguns planejamentos, no fim tudo sempre ia sendo adiado. Pensei em fazer um mochilão sozinha, mas o ano já estava quase acabando e eu não sabia se tinha coragem de me jogar assim. Comecei a pesquisar até que encontrei esse “mochilão organizado”. Passei uns dois dias fuçando tudo na internet e encontrei duas empresas semelhantes: Top Deck e Contiki (no Brasil pode ser negociada com a STB). Aqui vou falar sobre a Contiki que foi minha escolha.

A Contiki oferece viagens no mundo inteiro para jovens entre 18 e 35 anos. São grupos fechados com pessoas de diversas nacionalidades e eles organizam tudo: roteiro, hotéis, transporte, uma parte da alimentação, alguns passeios inclusos e outros opcionais. No meu primeiro dia a guia já falou “agora que começou relaxem e curtam a viagem, pois eu estou aqui pra organizar todo o resto”. O idioma do grupo é o inglês.

Eu escolhi o European Discovery (Descobrindo a Europa) que passou por 8 países em 12 dias. Sim, o ritmo é louco e é um dia em cada cidade, é pra ter aquela visão geral e escolher onde vai passar mais tempo da próxima vez. Como eu estava sozinha e não tinha ninguém na mesma vibe que eu, acho que foi a escolha perfeita! Claro que se eu tivesse algum amigo pra ir junto, podia ter feito algo mais tranquilo, conhecendo melhor cada lugar, mas não me arrependo. Caso você tenha chegado até esse post porque está pensando em fazer algo parecido, já vai sabendo que é apenas pra riscar os lugares da lista e não conhecer profundamente cada um deles.

Meu roteiro foi o seguinte: saída de Londres > Amsterdã > St. Goar > Munique > Innsbruck > Veneza > Roma (com Vaticano) > Florença > Lucerna > Paris.

Final de setembro eu estava começando as pesquisas, lendo blogs e super insegura porque não tinha muita informação na internet, principalmente de brasileiros que tinham feito algo parecido. No dia 15 de outubro embarquei para Londres. Cheguei lá na segunda e fiquei livre até a saída pra Amsterdã na quinta-feira, que foi quando meu Contiki realmente começou. Eu optei chegar antes pra matar a saudade de Londres haha. Vou contar o que fiz nos lugares em um outro post.

O meu grupo era bem diversificado. Éramos em 46 pessoas, 1 motorista e 1 guia. Eu era a única brasileira do grupo e estávamos em 11 nacionalidades: Austrália, EUA, Nova Zelândia, China, Canadá, Filipinas, Inglaterra, Índia, África do Sul, o motorista de Portugual e eu hahaha. Eu passei 12 dias falando inglês o tempo todo! Me surpreendi com a minha capacidade e sem dúvidas é essencial um nível avançado da língua. A experiência é tipo um intercâmbio, mas muito melhor! Eu comprei quarto duplo e dividi com uma Australiana super fofa, nos demos muito bem e éramos parecidas nos gostos e vontades. Com ela que passei a maior parte da trip, sentávamos no ônibus juntas, jantar, passeios, tudo praticamente.

O inesperado do meu grupo é que tinham 9 casais! Hahahaha Geralmente essa é uma viagem de solteiros que viajam sozinhos. Alguns ficavam mais entre eles, outros faziam amizade mais fácil. Quem estava sozinho, era mais fácil de interagir. Todo mundo está na mesma sabe? Conhecendo pessoas novas, se divertindo, todos simpáticos e querendo aproveitar o máximo!

Acredito que isso é o diferencial desse estilo de viagem e a melhor parte da minha escolha. Você passa praticamente 24 horas por dia, durante 12 dias, com pessoas que você nunca tinha visto na vida, de culturas diferentes, profissões, vidas, sonhos mas todos ali, unidos viajando. No primeiro dia de viagem a guia fez uma dinâmica mudando todo mundo de lugar e quebrou o gelo do início. Voltei já morrendo de saudades de todos, daquela rotina louca que só a gente entendia, das festas, da correria, das culturas diferentes, dos lugares encantadores, ahhh queria tudo de novo!

Ah sim, o transporte dentro da Europa era todo dentro de ônibus. Passávamos em média 5 horas por dia se locomovendo, o que é um pouco chato, mas acabávamos aproveitando pra dormir. Tinha entrada USB pra carregar celular em cada assento, não inclinava muito a poltrona mas consegui dormir todos os dias um pouco. As janelas eram grandes para aproveitar a paisagem. O ônibus era limpo e o banheiro só podia ser usado para emergências. Parávamos geralmente no meio do trajeto (cerca de 3 horas) para comer e usar o banheiro. As paradas eram de 45 minutos. Tinha apenas 100MB de internet grátis e o preço para comprar mais era absurdo. Recomendo comprar um chip mesmo.

Todos os dias nossa guia passava a programação e contava um pouco do lugar que estávamos indo, ela programava nosso tempo para aproveitar o máximo possível, dava dica do transporte público, organizava a entrada nos lugares e fazia um resumo dos próximos dias. Também muito legal que tivemos uma música tema que ela tocava todos os dias e uma “wake up song” que ela botava alto quando chegava a hora de acordar hahahaha. Ela era super animada e com uma energia ótima. Cada dia recomendava uma comida e bebida típica, onde aproveitar nosso tempo livre e até nos acompanhava nas festas.

No meu pacote estavam inclusos as 12 noites de hospedagem, café da manhã todos os dias, 7 jantares e os seguintes passeios (descrição de quando comprei o pacote e meus comentários):

  • Tour guiada e andando em Veneza
  • Barco para entrar em Veneza (o que agora me parece algo óbvio, para entrar em Veneza o ônibus estaciona antes, pegamos um barco e entramos na cidade)
  • Especial tour em Roma (hmmm… acho que foi a volta dentro do ônibus para conhecer a cidade hahaha)
  • Um sorvete incluso em Roma (acabei de perceber que não ganhamos free não hahaha)
  • Tour guiada e andando em Florença (a guia local era uma fofa)
  • Exclusiva tour “Paris a noite” (acredito que seja a volta dentro do ônibus também, mas fizemos no fim da tarde e com duas paradas rápidas para foto)
  • Entrada no segundo andar da Torre Eiffel a noite (lindo demais, mas estava muuuito frio! Se quisesse subir até o último andar era mais 6 euros, optei por ficar só no segundo mesmo porque estava muito frio e era noite).

Além disso, era possível comprar os opcionais (ou “me time opcional”) que eu acabei fechando tudo e a maioria do grupo também. Mas algumas pessoas não e enquanto fizemos esses passeios eles tinham o tempo livre. Também segue a relação com a descrição e meus comentários:

  • Amsterdam Canal Cruise – Passeio de barco nos casais de Amsterdam com open bar, duração de 1h30min
  • Sex show em Amsterdam (não estava na descrição antes da viagem, mas a guia ofereceu no primeiro dia)
  • Degustação de vinho em St. Goar (é um cidade pequena, não tem nada pra fazer a noite, experimentamos cerca de 5 tipos de vinhos em copinhos de “shot” mas eu não conseguia entender nada que o cara explicava)
  • Tour guiada e andando em Munique
  • Subida aos Alpes em Innsbruck (demos muita sorte e nevou no dia! Pra mim, sem dúvida, o melhor opcional da viagem!)
  • Passeio na gôndola em Veneza (outro que amei e super típico da cidade)
  • Jantar típico em Veneza
  • Entrada e visita guiada no Coliseu
  • Tour guiada no Vaticano
  • Foto impressa do grupo em Florença (esse é um que pode ser dispensável, mas acabei comprando pra ter uma foto bonita – e impressa – do grupo todo como lembrança)
  • Jantar em Florença típico da Toscana
  • Balada em Florença – Space Electronic Disco (no fim, só estavam Contikis… hahaha Era pra ser uma festa enorme e foi bem sem graça. O lugar era enorme e só estávamos nós. Talvez porque era uma quinta-feira, não sei… Claro que rolou diversão, mas fomos para uma balada em Munique muito melhor)
  • Jantar e show no Moulin Rouge em Paris (é o item mais caro da lista – 157 euros, fiquei muito em dúvida se ia ou não, o jantar foi ótimo e chique. É algo típico de Paris, algumas pessoas do grupo estavam ansiosas por isso, mas eu realmente não fazia questão. Acho que é tipo uma vez na vida, por isso acabei pagando hahah o show realmente é uma grande produção e como era a noite de despedida, me juntei ao grupo).

Depois vou fazer um post dia-a-dia comparando o que estava escrito no roteiro e o que fizemos certinho e com detalhes, porque esse post já está enorme hahahah 🙂

Uma coisa que eu vi muita gente falando nas minhas pesquisas é sobre ficar doente. A viagem tem um ritmo intenso, dormimos pouco, mudamos de clima (tipo da neve na Áustria pro calor da Itália em 24hrs) então é claro que afeta a imunidade. Eu fui sentir nos últimos dias do meu Contiki a gripe, e assim que cheguei no Brasil ela me pegou de vez. Antes de ir tomei várias vitaminas (vitamina C, cápsula de alho e própolis) para ajudar na imunidade hahaha também levei um kit com remédios caso ficasse mal lá e precisei uns dois dias.

Vale a pena fazer um Contiki?

Depende! Se você estiver na mesma fase que eu, ou seja, tem dinheiro, tempo disponível mas não quer viajar sozinho, nem quer planejar tudo, tem inglês avançado e quer fazer novas amizades, essa é a viagem pra você! Acho que essa decisão é muito pessoal, e eu sem dúvida recomendo, desde que tenha a mente aberta. Tem que ir preparado para ser a única pessoa do Brasil (sei de outros grupos que geralmente tem mais, mas prefiro sempre esperar o “pior” hahaha), pode ser que não goste do colega de quarto, vai dormir pouco, passar 5 horas por dia no ônibus, conhecer tudo meio correndo mas também conviver pessoas incríveis, rir muito, festar (se quiser), experimentar comidas diferentes, aproveitar o máximo possível sem preconceitos e luxo. Afinal o slogan da empresa é #noregrets (sem arrependimentos), então, se decidir fazer algo assim, vá sem expetativas e aproveite o momento único!

Pra mim, foi a melhor escolha que eu fiz, risquei vários países da minha lista de desejos. Maaas claro que eu fui bem ciente do estilo da viagem (12 dias, 8 países) e já sabia que iria ver o básico do básico de cada lugar, que iria passar tempo no ônibus e que iria ter que voltar pra vários lugares de novo para conhecer direitinho e com tempo. Eu adoro planejar viagem, mas pra quem não gosta estava tudo prontinho.

Na verdade, é outro ponto que gostei muito. Para entrar na Torre Eiffel, Coliseu, subir nos Alpes, a nossa guia já estava com tudo pronto sabe?! O ticket da entrada, como chegar lá, era só a gente seguir ela, sem estresse. Mesma coisa no Moulin Rouge, tinha uma fila enorme e a gente simplesmente passou e entrou porque já estava tudo organizado para nós.

Minha única reclamação é de alguns hotéis. Teve uns 4 péssimos no meio do caminho, mas também é assunto pra outro post! Escreverei uma review de cada um que fica mais fácil.

Eu não sei se faria outro, mas simplesmente pela razão de que agora perdi o medo de viajar sozinha e também quero fazer com mais calma. Quer dizer… não sei hahaha Já estou louca pra ir pra Grécia e eu vi que os roteiros deles são mais tranquilos, quem sabe né?! O problema de viajar é que só me da mais vontade de conhecer o mundo.

Vamos ver o que me espera no ano que vem!

Últimas informações e links:

Contiki | Meu roteiro | Outros Contikis pela STB Brasil

  • Seguro-viagem: Comprei as passagens pelo MasterCard Platinum e usei o seguro que é gratuito oferecido pelo cartão de crédito.
  • Chip para o celular: Vodafone
  • Passagens áreas: Compradas com 20 dias de antecedência (valor não favorável), operada pela LATAM, ida Navegantes – Londres e volta Paris – Navegantes.
  • Contiki e passagens comprados com a STB Brasil de Blumenau (tinha um desconto da Contiki chamado “last minute deals”)
  • Levei Euros e Libra (mais Euros porque só passei 3 dias em Londres)
  • Usei cartão de crédito internacional (Nubank e o MasterCard, sem problemas).
  • Comprei 2 noites extras em Londres (sem café da manhã) no mesmo hotel do meu Contiki
  • Andei muito de transporte público em Londres
  • Gastei em média uns 15 mil reais no total, considerando Contiki + passagens + todos os opcionais oferecidos + compra das moedas + gastos no cartão/chip de celular/comida/extras. O câmbio infelizmente não está dos melhores, então isso pode variar, eu nem sei o valor final ainda porque não fechou o cartão de crédito ainda.
  • Comi bem na viagem, quase nada de fast food. Todo mundo tava na onda de experimentar a comida local, então o preço das refeições não inclusas foi meio alto (muito sorvete, pizza, macarrão kkkkk).
  • Antes de ir eu também tinha lido que era muita festa, mas no meu grupo nem achei tanto assim. Uma menina não foi pra nenhuma porque ela não bebia álcool (o que nem faz muito sentido kkkk, é só sair e não beber né?!)… Outros dias as pessoas ficavam nos bares dos hotéis, teve alguns dias de festa, enfim, não é uma loucura, achei bem tranquilo. Tinha gente mais animado e outros nem tanto. Quem não é muito fã de baladas é só ir pro hotel e ta tudo bem 😉
  • Só pode levar uma mala com até 20 kgs. Isso foi a pior parte, sofri demaisssss, mas acho que fui meio trouxa porque tinha gente com malas bem maiores que a minha. Então não sei se sempre eles são de boa com isso e deixam passar, mas no meu caso, ninguém teve problema com mala e eu podia ter levado uma maior.
  • Cuidado para não se apaixonar kkkkkkk

Gostaram do post? Alguma dúvida?

Hoje faz exatamente um mês que embarquei, nem acredito!! 🙁

Ainda vou contar mais os hotéis e alguns diários de viagem contanto tudo detalhadamente!

Beijos,

Ana Caroline