O QUE USAR NA ITALIA NA PRIMAVERA?

Nosso terceiro país, a Itália, nos recebeu com mais calor do que os outros. Na primeira cidade, Veneza, o aumento da temperatura ainda foi tímido, porém já não era mais preciso usar casacões e luvas.

As manhãs e tardes era mais frias, em torno dos 10° C, e as tardes chegavam aos 18° C, uma temperatura super agradável comparada com os 3° C de Londres + Chuva + Vento.

Já era possível sair do hotel apenas com um casaco leve e manga longa por baixo. Quem é mais calorento (oi, Matheus) já podia arriscar a manga curta. Como fez sol durante todos os dias em que ficamos lá, estava muito gostoso para caminhar nas ruazinhas e descobrir pontes e canais.

Blusa Branca Gola Alta, Calça Jeans e Casaqueto Caramelo Renner – Bota Caramelo Zara

Camisa H&M – Calça Jeans Renner – Bota Caramelo Zara

   Blusa Branca Doce Trama – Calça Branca Renner – Casaco Marrom Brechó (Enjoei) – Bota Caramelo Zara – Cinto Stradivarius

Resumindo, para Veneza, a mala pode ser um pouco mais leve! Mas ainda sim leve pelo menos um casacão. Calçados abertos já são mais bem-vindos, mas nas sombras das ruazinhas estreitas ainda fica friozinho.

Roma foi nossa última cidade e aí sim o calor europeu chegou para nos esquentar. As temperaturas durante o dia chegaram aos 23° C, então deu até para usar um vestido que tinha levado na mala! Pela manhã e noite ainda fazia frio: saímos do apartamento com 10° C, mas sempre esquentava – muito – durante o dia!

Para quem passa o dia caminhando em baixo do sol, 23° C é muito quente! kk 


Vestido Caramelo Doce Trama – Casaqueto Preto Doce Trama – Bota Preta Zara

Blusa Preta Renner – Casaqueto Preto Doce Trama – Calça Preta Zara – Tênis Preto Olympikus – Cinto Stradivarius

  

Último dia de viagem, já sem criatividade para montar looks :/
Blusa Branca Renner – Casaqueto Renner – Calça Jeans Zara – Bota Preta Zara

Para Roma, acredito que por garantia, ainda seja bom levar um casaco mais pesado, mas já é possível andar bem leve, sem muitas peças de roupa e com roupas mais curtas. Um calorzinho gostoso que pode muito bem ser acompanhado de um – ou vários! – gelatos por dia! kk

Espero que tenham gostado!

Beijos,
Carol Borba

DIÁRIO DE VIAGEM: ÚLTIMOS MOMENTOS – MEIGAN E MATHEUS NA EUROPA

Continuação do Diário de Viagem da Meigan e do Matheus

Com uma dorzinha no coração começo o último post sobre a viagem que fiz com meu namorado à Europa.

1920292_620602411347593_1045121528_n

Começando o dia em Roma, fomos visitar o Vaticano, o lugar mais sagrado do cristianismo, a sede da Igreja Católica, onde está localizada a maior igreja do mundo, com capacidade para 60.000 pessoas.

Posso dizer que mesmo não vendo o principal membro da religião católica, dia 04 de janeiro foi um dia abençoado.

Para quem não sabe, a Cidade do Vaticano é considerado um país dentro de Roma, possui 430 mil m², é considerado o menor do mundo. Compramos nossos ingressos online antes de irmos viajar, chegamos lá e não tivemos que enfrentar a fila quilométrica que cercava o quarteirão.

Dica: Não faça sua refeição nos restaurantes/padarias ao redor do Vaticano, eles cobram valores diferentes para você utilizar o local para comer e são valores que chegam ao dobro do que você pagaria apenas pela refeição.

Começamos pelo Museu do Vaticano, um dos mais importantes do mundo, conhecido mundialmente pela quantidade de história que há lá dentro. Quadros, tapeçaria, esculturas, pinturas, mapas e muitas coisas que demonstram vários anos da história da humanidade. Há muito o que ver, então é sempre bom reservar bastante tempo para aproveitar. São obras de artes maravilhosas e tudo é muito bem conservado. A mais procurada é sem dúvida, a Capela Sistina (não podia tirar fotos, mas… tiramos, ops!), inspirada no Templo de Salomão, pintada pelos maiores artistas da época como Michelangelo, Rafael, Bernini e Sandro Botticelli.

As pinturas são incríveis, não há palavras pra descrever a sensação que aquele lugar proporciona. Aproximadamente 4 milhões de pessoas visitam o Museu do Vaticano por ano. Independente da fé ou da religião vale a pena conhecer este lugar.

Continuamos nosso passeio pela Basílica de São Pedro e pela praça de mesmo nome, onde há um obelisco trazido do Egito, com altura de 40 metros e, segundo a história, a cruz que está em cima teria pedaços originais da cruz de Jesus Cristo. O passeio durou até a metade da tarde, aproveitamos para conhecer mais um pouco da cidade, fizemos o trajeto a pé, pelas lindas ruas, apreciando as lindas construções que estão ali há séculos.

Experimentamos um aperitivo típico, bruschetta, um pão tostado com azeite e por cima é colocado tomate e manjericão, muito gostoso. Terminamos o dia jantando em um restaurante próximo ao hotel que servia pizza, macarrão e lasanha.

vaticano

Dia 05 amanheceu com muita chuva, levantamos, tomamos café e voltamos ao quarto e decidimos que sair não seria uma boa opção. Como íamos embora no dia seguinte, aproveitamos para arrumar as malas e descansar. No final do dia a chuva deu uma trégua, resolvemos ir a um shopping.

Como Roma só tem duas linhas de trem, depois de pegá-lo, descer na última estação ainda tivemos que caminhar uns 20 minutos até chegarmos. Para nossa sorte, no meio do caminho caiu uma chuvaaa, pensem no desespero hahah Nos protegemos em baixo de uma árvore grande e ela durou uns 5 minutos só, isso sim foi sorte.

Conhecemos, compramos e fomos jantar, comemos uma carne que no cardápio parecia ser muito gostosa e o cheiro era bom demais. Mas, o gosto, gzuis… Horrível. Aproveitamos até a hora de fechar e retornamos ao hotel, para nossa última noite na Itália.

O último dia do sonho chegou e o sol estava lá para iluminá-lo.

Como nosso passeio do dia anterior teve que ser cancelado pelo mau tempo, acordamos cedo para dar conta de fazer tudo antes do meio dia. Fomos fazer um tour pela Roma Antiga, começando pela mais popular atração da cidade. Conceituado como uma das Sete Maravilhas do Mundo, também é considerado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. O Coliseu foi construído em 72 d.C., era utilizado como palco de lutas, espetáculos com feras e batalhas navais. Tinha capacidade para receber até 90 mil pessoas. Segundo a história, foi construído por escravos judeus. Imagino que mesmo quem não seja apreciador das engenharias, fica se perguntando como fizeram uma obra daquele tamanho, com aquelas dimensões, em um tempo onde não existiam tecnologias, como ainda está lá depois de suportar dois grandes terremotos, como é tão magnífico? É muito difícil achar respostas, é simplesmente perfeito!

Continuamos nossa jornada até porque não tínhamos muito tempo, conhecemos o Arco de Constantino, seguimos até os Sítios Arqueológicos do Palatino e Foro Romano. Na antiguidade este era o centro de Roma, onde ficavam os centros comerciais, judicial e político da época. Infelizmente, não há quase nada realmente completo, tudo está em ruínas, mas mesmo assim a beleza não se perdeu. Aproveitamos o tempo que ainda nos restava para ficar apreciando a história de Roma, depois pegamos nosso trem que nos levaria direto ao aeroporto.

roma antiga

E assim acaba nossa primeira lua de mel hahah Podemos dizer que foi a melhor experiência vivida até hoje. Não temos palavras para agradecer toda a força que as nossas famílias fizeram para que conseguíssemos realizar este sonho, gratidão eterna, sem dúvida. E eu sou muito grata também por ter tido ao meu lado nessa jornada alguém tão especial pra mim, sei que não seria a mesma coisa sem o Matheus. Obrigada também ao blog Blá Blá Do Dia em me proporcionar contar minha experiência, foi incrível reviver cada momento. Chega de melação né gente hahah.

Pra finalizar quero deixar umas dicas pra quem pretende fazer uma longa viagem e também pra quem deseja visitar os lugares que visitei:

Programe-se com antecedência, há muitas promoções principalmente de passagens que podem ajudar diminuir um pouco o orçamento. Pra quem não conhece o site www.melhoresdestinos.com.br pode ajudar.

Pesquise sobre os lugares que vai conhecer, procure fazer um roteiro com as proximidades dos pontos turísticos para não perder tempo cruzando e tendo que voltar depois.

• Não se esqueça de verificar a moeda local, sei que parece óbvio, mas nem todos sabem que em Londres é libra e que a Suíça usa o franco suíço. Afinal, a moeda mais usada na Europa é o euro.

• Dê uma olhada como funciona o transporte público em cada lugar, pois nem sempre é tão eficiente e será necessário buscar outros como alternativa, uma boa opção são os passeios de bicicleta, são baratos, você faz se próprio roteiro e ainda aprecia a cidade de uma forma diferente.

• Aproveite para experimentar os pratos típicos da região, mesmo que seja um pouco mais caro que os fast-foods, vale a pena conhecer um pouco da culinária local. Para nós, o melhor lugar que comemos foi em Paris, o nome do restaurante está nos posts.

• Vai desembarcar em Londres? Tenha todas as suas documentações organizadas para receber o visto, incluindo seu roteiro, hotéis, tickets de atrações, saiba também quanto você têm em dinheiro e nos cartões (eles podem perguntar) e jamais minta nestas entrevistas, podem ocorrer vários problemas.

• Organize-se para gastar uma média de 60 euros por dia, claro que sem incluir compras extras.

Compre antecipada a entrada de algumas atrações, assim você evita fila e ganha tempo.

Procure mapas nas estações de metro e trem, facilita muito para se locomover e encontrar seus destinos.

• Não vá com a ilusão que vai comprar muita coisa mais barata que no Brasil, Europa é cara, afinal suas moedas são muito valorizadas, eletrônicos, perfumes e maquiagem são os que mais valem a pena.

Londres foi a cidade que mais gostamos, um transporte público maravilhoso, as pessoas são muito bem receptivas, há muita facilidade em encontrar os pontos turísticos, é mágica e perfeita, apesar de ser cara e o clima ser meio instável, com certeza é o lugar que voltaríamos e gostaríamos de morar.

Bom, aí acho que estão as principais dicas. Espero que as utilizem.

“Viajar é a única coisa que você compra e que te deixa mais rico.”

Obrigada à todos que acompanharam, Beijos.

 

 

 

 

Eu e a Carol agradecemos a Meigan e o Matheus por terem compartilhado essa experiência incrível aqui no blog e nos mínimos detalhes, amamos ler e na próxima viagem já estão convidados para voltar aqui! 

DIÁRIO DE VIAGEM: ALPES SUÍÇOS E ROMA

Continuação do Diário de Viagem da Meigan e do Matheus

1800859_614164548658046_409801998_n

Vou confessar a vocês, mesmo depois de ter passado pela cidade mais visitada do mundo em 2013, pela cidade liberal e pela romântica Paris, posso dizer que o primeiro dia de 2014 foi o que mais me deixou deslumbrada.

Compramos aqui no Brasil já, um passeio com destino aos Alpes Suíços, primeiramente um tour por algumas montanhas próximas, passando pelo Lago dos Quatro Cantões e chegamos a Lucerna, nossa primeira parada.

Uma cidade muito fofa, uma das mais conhecidas do país. Fizemos um tour rápido, mas, não deixamos de conhecer a Igreja dos Jesuítas que está lá desde 1560, o Monumento do Leão elogiado como “o mais lúgubre e tocante peça em pedra no mundo” e a ponte de madeira mais antiga da Europa, Kapellbrücke.

1

Continuamos nosso passeio rumo ao principal destino, Engelberg. Pense em um cenário maravilhoso, casas lindas, rodovias impecáveis e neve, muitaaa neve.

O Monte Titlis fica a mais de 3.000 metros de altitude e para chegar ao topo é necessário utilizar os serviços de bondinhos, inclusive o primeiro giratório do mundo que nos permite uma vista panorâmica e dura mais ou menos 20 minutos.

Os termômetros marcavam 6ºC negativos, mas, a sensação não era tanta, mesmo a gente não sentindo mais nossos dedos dos pés e das mãos. Ver neve pela primeira vez e em tamanha proporção é inexplicável, encantador e maravilhoso.

Há um teleférico a céu aberto que passa por cima das pistas de esquis, é muito alto, dá um medinho, mas, a vista é deslumbrante. Conhecemos a mais alta ponte suspensa da Europa, essa sim dá medo, além de estar a 500 metros do chão, ela balança conforme o vento.

Visitamos a caverna feita de gelo, o terraço, restaurante panorâmico e o museu glacial. Aproveitamos a tarde toda lá, saímos ao anoitecer. Realmente é um lugar que vale a pena conhecer.

2

De volta à Zurique, tínhamos uma reserva no restaurante Raclette Stube, conhecido por sua tradição de servir o verdadeiro fondue. Experimentamos dois tipos, o de queijo e outro que vem um adicional de vinho branco, de acompanhamento são servidos apenas pão e batata assada.

Pra falar a verdade, não gostamos muito, o queijo tinha um cheiro estranho, mas não era tão ruim, ruim mesmo era o que continha vinho junto.

1508295_614165161991318_2133034104_n

10000098_614165155324652_1504482151_n

O dia seguinte amanheceu nublado, passeamos um monte pela cidade para conhecer mais, aproveitamos algumas liquidações e retornamos ao hotel para fechar nossas malas e realizar o check-out.

Pegamos um trem noturno para Roma, chegamos por volta das 9:30hrs da manhã, não conseguimos nos localizar muito bem na saída da estação pois, não haviam muitas placas. Preferimos pegar um táxi já que estávamos bem cansados, para nossa surpresa o hotel era super perto da estação.

Nosso check-in no hotel Andreotti estava programado só para as 16hrs, mas pela graça divina já havia um quarto disponível, pensem na nossa alegria. Nós nos acomodamos, tomamos café e já fomos turistar.

Começamos pela parte nobre de Roma, a pé, pois, na cidade inteira só há duas linhas de trem, o que dificulta um pouco a passeata. Passamos pela Piazza Spagna, caminhamos pelas lindas rua Del Corso, Delle Carrozze e Condotti.

Um detalhe que não passa despercebido são as placas de identificação das ruas, a maioria é feita em mármore, um luxo.

Caminhamos mais um pouco e encontramos a Fontana di Trevi, considerada a maior e mais ambiciosa construção de fonte barroca da Itália. A tradição da fonte diz que se você jogar uma moeda voltará à cidade e se jogar duas encontrará seu amor lá, como eu já estava com meu, só joguei uma mesmo hahah.

3

Seguimos e logo chegamos ao Pantheon, o monumento mais bem conservado da Roma Antiga, esta lá desde o século 7, apesar de ter sofrido algumas transformações, principalmente pelo fogo que o atingiu. É muito apreciado por sua cúpula que permite a entrada de luz natural. A entrada é gratuita e é possível participar de missas em alguns horários determinados.

Fomos até a Piazza Navona, não sei dizer se sempre é cheia, mas naquele dia havia muitas barraquinhas de vendas, alguns artistas de ruas e vários turistas aproveitando o dia.

No final da tarde, caminhando por uma grande avenida passando por Castel Sant’Angelo e Corte Suprema di Cassazione, estávamos sentados em uma mureta que cercava o rio tirando algumas fotos e apareceram três fotógrafos, perguntaram de onde éramos, o que fazíamos por lá, falaram que estavam vendo a gente já fazia um tempo e pediram para que sentássemos juntos na mureta e nos beijássemos para que tirassem algumas fotos nossas, depois nos passaram o e-mail deles para solicitarmos, muito estranho, mas no fim das contas eles realmente nos enviaram as fotos.

1964568_614168425324325_1939076304_n

4

Resolvemos passar novamente da Fontana di Trevi, há boatos de que ela é ainda mais bonita à noite, podemos confirmar que sim.

Jantamos em um restaurante por ali mesmo, apreciamos as tradicionais pizzas da cidade, são muito gostosas, mas, não há muitas opções de sabores.

Na volta ao hotel, paramos para comer um crepe, compramos uns presentes para a família e para nós haha Passamos pela Fontana del Tritone e nos perdemos, pra variar. O hotel não ficava muito longe de onde estávamos, mas demoramos o dobro do tempo para chegar a ele, sem comentários haha.

Roma estava com um clima mais agradável, era possível usar um suéter e uma flanela sem passar frio, temperatura média de 12ºC.

1974700_614168581990976_1302577199_n

Nossa série de posts está chegando ao fim, tenho que confessar que estou amando reviver estes momentos.

No próximo vou contar pra vocês sobre os outros 3 dias nesta cidade histórica e vou dar umas dicas referente à todos estes lugares que passamos, não percam!

Beijoss