DIÁRIO DE VIAGEM: ALPES SUÍÇOS E ROMA

Continuação do Diário de Viagem da Meigan e do Matheus

1800859_614164548658046_409801998_n

Vou confessar a vocês, mesmo depois de ter passado pela cidade mais visitada do mundo em 2013, pela cidade liberal e pela romântica Paris, posso dizer que o primeiro dia de 2014 foi o que mais me deixou deslumbrada.

Compramos aqui no Brasil já, um passeio com destino aos Alpes Suíços, primeiramente um tour por algumas montanhas próximas, passando pelo Lago dos Quatro Cantões e chegamos a Lucerna, nossa primeira parada.

Uma cidade muito fofa, uma das mais conhecidas do país. Fizemos um tour rápido, mas, não deixamos de conhecer a Igreja dos Jesuítas que está lá desde 1560, o Monumento do Leão elogiado como “o mais lúgubre e tocante peça em pedra no mundo” e a ponte de madeira mais antiga da Europa, Kapellbrücke.

1

Continuamos nosso passeio rumo ao principal destino, Engelberg. Pense em um cenário maravilhoso, casas lindas, rodovias impecáveis e neve, muitaaa neve.

O Monte Titlis fica a mais de 3.000 metros de altitude e para chegar ao topo é necessário utilizar os serviços de bondinhos, inclusive o primeiro giratório do mundo que nos permite uma vista panorâmica e dura mais ou menos 20 minutos.

Os termômetros marcavam 6ºC negativos, mas, a sensação não era tanta, mesmo a gente não sentindo mais nossos dedos dos pés e das mãos. Ver neve pela primeira vez e em tamanha proporção é inexplicável, encantador e maravilhoso.

Há um teleférico a céu aberto que passa por cima das pistas de esquis, é muito alto, dá um medinho, mas, a vista é deslumbrante. Conhecemos a mais alta ponte suspensa da Europa, essa sim dá medo, além de estar a 500 metros do chão, ela balança conforme o vento.

Visitamos a caverna feita de gelo, o terraço, restaurante panorâmico e o museu glacial. Aproveitamos a tarde toda lá, saímos ao anoitecer. Realmente é um lugar que vale a pena conhecer.

2

De volta à Zurique, tínhamos uma reserva no restaurante Raclette Stube, conhecido por sua tradição de servir o verdadeiro fondue. Experimentamos dois tipos, o de queijo e outro que vem um adicional de vinho branco, de acompanhamento são servidos apenas pão e batata assada.

Pra falar a verdade, não gostamos muito, o queijo tinha um cheiro estranho, mas não era tão ruim, ruim mesmo era o que continha vinho junto.

1508295_614165161991318_2133034104_n

10000098_614165155324652_1504482151_n

O dia seguinte amanheceu nublado, passeamos um monte pela cidade para conhecer mais, aproveitamos algumas liquidações e retornamos ao hotel para fechar nossas malas e realizar o check-out.

Pegamos um trem noturno para Roma, chegamos por volta das 9:30hrs da manhã, não conseguimos nos localizar muito bem na saída da estação pois, não haviam muitas placas. Preferimos pegar um táxi já que estávamos bem cansados, para nossa surpresa o hotel era super perto da estação.

Nosso check-in no hotel Andreotti estava programado só para as 16hrs, mas pela graça divina já havia um quarto disponível, pensem na nossa alegria. Nós nos acomodamos, tomamos café e já fomos turistar.

Começamos pela parte nobre de Roma, a pé, pois, na cidade inteira só há duas linhas de trem, o que dificulta um pouco a passeata. Passamos pela Piazza Spagna, caminhamos pelas lindas rua Del Corso, Delle Carrozze e Condotti.

Um detalhe que não passa despercebido são as placas de identificação das ruas, a maioria é feita em mármore, um luxo.

Caminhamos mais um pouco e encontramos a Fontana di Trevi, considerada a maior e mais ambiciosa construção de fonte barroca da Itália. A tradição da fonte diz que se você jogar uma moeda voltará à cidade e se jogar duas encontrará seu amor lá, como eu já estava com meu, só joguei uma mesmo hahah.

3

Seguimos e logo chegamos ao Pantheon, o monumento mais bem conservado da Roma Antiga, esta lá desde o século 7, apesar de ter sofrido algumas transformações, principalmente pelo fogo que o atingiu. É muito apreciado por sua cúpula que permite a entrada de luz natural. A entrada é gratuita e é possível participar de missas em alguns horários determinados.

Fomos até a Piazza Navona, não sei dizer se sempre é cheia, mas naquele dia havia muitas barraquinhas de vendas, alguns artistas de ruas e vários turistas aproveitando o dia.

No final da tarde, caminhando por uma grande avenida passando por Castel Sant’Angelo e Corte Suprema di Cassazione, estávamos sentados em uma mureta que cercava o rio tirando algumas fotos e apareceram três fotógrafos, perguntaram de onde éramos, o que fazíamos por lá, falaram que estavam vendo a gente já fazia um tempo e pediram para que sentássemos juntos na mureta e nos beijássemos para que tirassem algumas fotos nossas, depois nos passaram o e-mail deles para solicitarmos, muito estranho, mas no fim das contas eles realmente nos enviaram as fotos.

1964568_614168425324325_1939076304_n

4

Resolvemos passar novamente da Fontana di Trevi, há boatos de que ela é ainda mais bonita à noite, podemos confirmar que sim.

Jantamos em um restaurante por ali mesmo, apreciamos as tradicionais pizzas da cidade, são muito gostosas, mas, não há muitas opções de sabores.

Na volta ao hotel, paramos para comer um crepe, compramos uns presentes para a família e para nós haha Passamos pela Fontana del Tritone e nos perdemos, pra variar. O hotel não ficava muito longe de onde estávamos, mas demoramos o dobro do tempo para chegar a ele, sem comentários haha.

Roma estava com um clima mais agradável, era possível usar um suéter e uma flanela sem passar frio, temperatura média de 12ºC.

1974700_614168581990976_1302577199_n

Nossa série de posts está chegando ao fim, tenho que confessar que estou amando reviver estes momentos.

No próximo vou contar pra vocês sobre os outros 3 dias nesta cidade histórica e vou dar umas dicas referente à todos estes lugares que passamos, não percam!

Beijoss

DIÁRIO DE VIAGEM: AU REVOIR PARIS E ANO NOVO EM ZURIQUE!

Hoje é dia de continuação do Diário de Viagem da Meigan e do Matheus. (primeiro post, segundo post e terceiro post)

1622440_607140129360488_1384258550_o

Oito dias se passaram desde que começamos nossa aventura pela Europa, falando agora parece que foi rápido, mas, quando estávamos lá parecia que os dias não passavam. E isso era simplesmente maravilhoso, porque óbvio que não queríamos que acabasse.

Continuando minha série de posts, estamos no dia 30 de Dezembro na cidade romântica, Paris.

Hoje o dia foi mais tranquilo, fomos primeiro visitar o Museu do Louvre, outro monumento que parece ser menor nas fotos. Resolvemos não entrar, pois a fila estava enorme (compras de bilhetes online não estavam mais disponíveis para esta data) e a visita ocuparia nosso dia inteiro. Não que não deve valer a pena, mas, não era algo que realmente nos interessou.

1975146_607140352693799_950897241_n

À tarde fomos deixar nosso marco de amor na cidade haha. Visitamos uma das mais belas pontes, Pont des Arts, mais conhecido por Ponte dos Cadeados. Lugar onde casais apaixonados seguem a tradição de escreverem seus nomes em cadeados e jogam a chave no Rio Sena, simbolizando o compromisso entre eles. 

Caminhamos para conhecer a cidade, compramos algumas lembrancinhas.

post1

Reservamos a noite para um passeio de barco pelo rio, que passa por vários pontos turísticos. Infelizmente havia chovido e os bancos externos estavam molhados, ficamos na parte interna, o que atrapalhou um pouco nossa vista.

Não há dúvidas que o passeio seja encantador, mas, nesta época do ano, tem quer ser forte para aguentar o vento que o passeio proporciona.

Voltamos ao restaurante Resto Demi-Lune, desta vez optamos por um prato típico da região chamado Raclette, o queijo é derretido na hora e raspado em cima dos acompanhantes, que podem ser: batatas, presuntos, salames, entre vários outros.

De sobremesa aproveitamos para experimentar o crepe francês, pra quem não conhece, ele é um pouco diferente do que nós comemos por aqui, normalmente o doce é servido com Nutella (vocês não fazem ideia do tamanho dos potes, tentador haha).

1661630_607140956027072_1431378310_n

O último dia do ano amanheceu ensolarado, sorte a nossa, pois era o dia de se despedir de Paris. Fizemos o check-out no hotel e decidimos fazer o último passeio com as malas mesmo, para não termos que retornar ao hotel para retirá-las.

Fomos conhecer o Jardim de Luxemburgo, o maior parque público da cidade. Aproveitamos a manhã por lá e partimos de trem rumo à Zurique no começo da tarde.

1798364_607140556027112_770904465_n

As paisagens durante este trajeto são lindas, vale a pena fazê-lo durante o dia. Chegamos ao final da tarde na cidade suíça, fomos direto ao hotel chamado Best Western Montana fazer nosso check-in e nos preparar para a virada do ano.

Algo muito comum nos hotéis do Brasil e que só vimos em Zurique foi o frigobar, as acomodações do hotel eram muito boas, o café da manhã com diversas opções, super indico!

1506550_607810379293463_444333838_n

Saímos rumo ao Silvesterzauber, o Ano Novo Mágico de Zurique, pra variar nos perdemos no caminho, fomos para o lado oposto da festa, tansos… haha. Ainda bem que tínhamos saído cedo do hotel.

Ficamos impressionados com o número de jovens naquela cidade, não sabemos ao certo se eram turistas ou moradores. A festa na cidade é a maior da Suíça, conta com bandas, djs, várias barraquinhas de bebidas e comida, sem contar a vista incrível para o lago.

Quem quiser visitar a Suíça, deve ficar atento, a moeda oficial não é a mesma da Europa, eles utilizam o franco suíço, é equivalente a mais ou menos 2,6 reais e se preparem que o custo de vida lá é alto, não vão com pouco dinheiro.

Acreditam que tinha uma barraquinha toda decorada de amarelo e verde, vendendo caipirinha e tocando Ivete Sangalo?! Um sarro.

A temperatura aquela hora da noite era 0ºC, mas, eu juro pra vocês que parecia ser muito menos, estava muito muito frio, aquele doído mesmo. Para driblar aproveitei os vinhos quentes que eram vendidos na rua. 

Chegou meia-noite e.. Nada! Estranho não?! Lá os fogos começam somente 20 minutos depois da virada do ano, não se sabe explicar ao certo o porquê, acho que é mais por tradição mesmo. Em compensação, quando começa, todas as luzes da cidade se apagam, os sinos tocam e é hora de apreciar o espetáculo. São 25 minutos de fogos intensos, um show encantador.

Como estava muito frio e nosso próximo dia começava cedo, assim que terminou, retornamos ao hotel. Como o fuso horário tem diferença de + 3 horas em relação à Brasília, ainda deu tempo de pegarmos nossos pais em casa para desejar-lhes boas vindas a 2014.

post2

No próximo post, vamos contar a vocês sobre o passeio incrível que fizemos pelos Alpes, não percam!

Beijos,