DIÁRIO DE FORMANDA: O BAILE

Olá!!! Boatos que após o carnaval o ano começa né?! Hahaha, então pre-pa-ra, que hoje é o post do baile de formatura e tem muitooo assunto! Hahaha

14822

No último post eu falei que as fotos iam demorar para ficar prontas (o prazo deles era 180 dias), mas na semana seguinte eu recebi, fiquei bem feliz. E vocês, já estão de saco cheio de falar de formatura? Hahahaha eu nem acredito que já passaram quase 3 meses do dia tão esperado, o tempo voa!

Enquanto a colação de grau é muito emocionante e esperada, o principal do meu baile foi comemorar! E como eu comemorei… dancei a noite inteira e aproveitei muito com meus amigos, que é algo que eu amo fazer: estar rodeada de pessoas que são importantes na minha vida, cantando, dançando, rindo, bebendo… Hahahaha, quem me conhece, sabe! Aproveitei o meu baile o máximo e pra mim não poderia ter sido melhor!

Porém, até chegar esse dia, eu pensei em cada detalhe. Eu estava chata, insuportável, queria tudo perfeito. Infelizmente, nem tudo saiu do jeitinho que eu imaginei, porém, como eu disse acima, a comemoração foi incrível e o mais importante era me divertir, que foi o que fiz.

Eu pensei nesse post milhares de vezes, vinha aqui, abria a página, começava a escrever, olhava as fotos, parava, voltava, parava… Finalizei agora com muita saudade e apesar das reclamaçõezinhas que vocês vão ver por aqui, estou feliz com o resultado.

Bom, o principal no baile de formatura era o vestido. Inclusive rendeu um post próprio aqui falando sobre isso e o “drama” que envolve essa parte. Eu sou chata. Muito chata. Irritantemente chata. Queria o vestido perfeito. O resultado final não foi o que eu esperava. Sim, recebi vários elogios, todo mundo me disse que eu tava linda, mas não era o que EU queria. E isso tudo é até engraçado agora que eu paro e penso.

E o vestido, além de ser o grande drama envolvendo a formatura, também é o motivo de que eu não saber como fazer esse post, não sei muito bem como explicar pra vocês essa parte.

Primeiramente, eu fui em várias lojas, provei vários modelos e nenhum era do jeito que eu queria. Eu não queria renda e em todas as lojas era o que mais tinha. Eu queria um vestido liso. Então, pra mim, restou a opção de mandar fazer, mesmo conhecendo os riscos disso. Pesquisei e acompanhei os estilistas de Blumenau até decidir a pessoa que fez o meu vestido. Eu não sei se eu deveria ou não mencionar o atelier, mas decidi não falar, já que passei por alguns problemas.

No primeiro atendimento mostrei inspirações, falei que eu não queria rendas e eu descobri que o que eu gostava eram os bordados, mas isso deixa (bastante) caro o vestido. Optei por um modelo liso mesmo. O modelo foi: saia sereia, lateral aberta, um decote e costas só com duas tiras. Vou deixar abaixo as fotos de inspirações. Quando decidi fazer o vestido mesmo, vi as opões de tecidos e no fim fiquei com o rosa (que em algumas fotos pode parecer vermelho, mas é rosa bem barbie hahaha).

(em cima as inspirações de sereia e embaixo de decote/lateral)

Eu queria também o decote mais fechado – foi onde surgiu a ideia do transpassado – e talvez isso tenha contribuído para que eu não gostasse tanto da versão final. Fiz a primeira prova, não gostei. Mas tudo bem, podia melhorar. A saia foi melhorando, porém o decote ainda me incomodava. Eu achava que era porque não estava completamente costurado ainda. A coisa que eu tinha certeza desde o começo é que eu queria a lateral aberta, como nos modelos que mostrei acima. O resto eu não tinha certeza, mas isso sim. Nas provas não estava ficando do jeito que eu queria e toda vez que eu mencionava, a pessoa me falava que tinha aberto o máximo e que se abrisse mais, poderia aparecer o seio. Ok, né?! Se a pessoa que trabalha com isso me diz, confiei. Vejam as fotos das três provas antes do resultado final:

Na última prova, o dia de pegar o vestido pronto, a parte de cima estava muito frouxa, no transpasse além de estar sobrando, foi feito apenas um alinhavo e do jeito que seu mexia aparecia toda a linha, não estava nada legal. Falei o que me incomodava, a pessoa disse que não poderia fazer nada, que era normal, que se apertasse mais a saia ia subir, que o vestido estava lindo e perfeito. Se a preocupação dela era aparecer o seio na lateral, parecia que tinha esquecido que no decote, do jeito que estava, ia aparecer do mesmo jeito. Peguei o vestido. Fui pro carro e comecei a chorar (sou chorona hahahaha). Minha mãe não estava entendendo nada e queria voltar lá pra fazer alguma coisa. Mas gente, como eu ia voltar e repetir algo que eu já tinha falado (e não só uma vez, mas em todas as provas eu falava e parecia que não resolvia nada), quando a pessoa não via o defeito?

Decidimos ligar para a costureira que estava fazendo o vestido da minha mãe – 3 dias antes do meu baile – e ela conseguiu me atender no mesmo dia e dar uma arrumada no vestido. Ela não conseguiu fazer muita coisa em razão do corte e do tempo, mas melhorou. O que estava péssimo e mais me incomodando era a costura no meio e isso ela arrumou. Se vocês observarem nas fotos, ali no busto ainda ficou “frouxo”, apesar de ela ter dado uma arrumada. Eu não quero ficar aqui citando os defeitos, porque eu consigo ver vários, mas esse foi o que achei mais complicado. Quem olha sem saber disso, talvez me diga que o vestido está lindo e eu até concordo. O risco de se mandar fazer é que não fique do jeito que você imaginou e foi isso que aconteceu comigo. Vamos ao resultado?

Outra coisa que me incomodou foi o preço. Eu não paguei barato, mas foi um preço médio pelo o que acompanhei minhas amigas. Só que eu tinha também o da minha mãe como base e eu fui junto na loja de tecidos para escolher (isso quando eu já tinha mandado fazer o meu), vi o tecido que foi utilizado no meu vestido e enquanto o valor do metro era R$ 10, por exemplo, o da minha mãe era R$ 20. Ou seja, minha mãe escolheu um tecido com qualidade superior, que não marcava ou amassava tanto e mais firme, adequado inclusive para o modelo que eu queria e ela pagou mais barato que eu.

Como meu vestido era todo liso, optei por um brincão, que foi feito pela Clash Rings com a união de duas ideias, especialmente para mim. 😛

A make e o cabelo foram feitos pela Bruna Azevedo. O cabelo acho que eu devia ter deixado um pouco mais solto na frente, o resultado nas fotos oficiais oficiais não gostei taaaanto – mas pessoalmente e nessas fotos tiradas pelo celular eu gostei (perceberam a bipolaridade e a minha chatisse né!? hahah). Eu não me gosto de cabelo preso, tenho esses cabelinhos “novos” que me incomodam, mas não faria diferente. É muito calor, muita gente abraçando, acho que é a opção adequada. Na maquiagem, quis brilhosss!

O sapato (que nem apareceu) era um Luiza Barcelos maravilhoso, quando eu usar ele de novo posto um look por aqui. Ele era bem alto (podem perceber nas fotos, sou a maior kkkk) mas eu amo!!! Confortável, não machucou. Mesmo assim tirei na metade da festa e troquei por rasteira, porque não tem nada melhor né?!

Minhas dicas finais para vocês: não coloquem tanta expectativa nas coisas e nem queiram tudo perfeito. Pesquisem muito, peguem várias inspirações e, caso decidam fazer um vestido novo, pesquisem mais ainda! Eu acabei ficando na minha cidade mesmo, mas várias meninas foram para fora, o que pode ser uma boa opção também.

O baile é para se divertir! Eu cheguei cedo e pedi que meus convidados também chegassem, assim bati todas as fotos em estúdio antes. Depois da nossa entrada, eu fiquei praticamente na pista dançando com meus amigos. Não bebam muito para lembrar de tudo depois! Batam bastante foto com celular, façam vídeos, são memórias para a vida toda. Além disso, antecipem o que puderem. Brinco, sapato, bebidas, comidas, quanto antes você decidir as coisas, melhor, pois vai chegando perto da formatura a ansiedade cresce, é bom ter tudo resolvido.

Por fim, não me levem a mal sobre o “desabafo” do vestido. Não quero parecer ingrata, nem nada do tipo. Eu achei que ele ficou bonito, mas não do jeito que eu queria, sabe?!

É issooo, espero que tenham gostado dessa série de posts sobre formatura! <3

Beijos,

Ana Caroline